Do leitor

Revolta com a vivo

É com muita revolta que envio este desabafo para os senhores da empresa Vivo por meio dessa coluna. Por não conseguir, de jeito nenhum, contatá-los e esperando uma luz no fim do túnel.

Atrás da qualidade da internet fibra ótica, meu esposo atendeu a uma ligação de uma funcionária da Vivo oferecendo o serviço que ficam, a todo momento, ligando.

Ele se encantou com a oferta que seria trocar o Vivo Cabo com telefone para Vivo Ótica com telefone.

Por uma grande má fé de seus funcionários ou “esquecimento”, isso resultou que o nosso telefone fixo de mais de 45 anos de uso, comprado a duras penas, na época de grande valor comercial — hoje nenhum — fosse cortado!

ELE tem o valor sentimental que dinheiro no mundo paga. Se tivessem avisado isso, jamais compraríamos a fibra ótica. Tudo ficaria como estava.

Leia mais  Clientes ficam até 5 horas em filas de bancos em Sorocaba

Senhores, eu não pedi isso! Queria, sim, continuar com o meu fone ligado como estava, com o uso do cabo. A partir daí, ficou uma caça às bruxas. Ninguém atendia mais e ninguém informava coisa nenhuma. Como estou até agora sem saber o porquê.

Um atendente queria devolver a linha, mas com outro número. Como!? Já imaginou o transtorno da mudança!? Tanto quanto ficar sem.

Estou primeiramente pedindo socorro a vocês.

Sou professora, pedagoga, programadora de projetos, radialista, folclorista e palestrante motivacional. Todos os meus contatos estão com o telefone, além do meu celular, lógico, e email.

Ao comentar que iria enviar este desabafo, fui desanimada por alguns, dizendo que iria servir só de desabafo mesmo. Mas tenho fé! Não acredito! Deve ter alguém aí na Vivo que pratique empatia e envie uma resposta com atitude.

Não é justo perder assim, simplesmente do nada, a minha linha telefônica. Não tem valor comercial, repito, mas tem sentimental. É meu! Como vão tirando assim?

Leia mais  Órgãos lançam campanha de combate ao trabalho infantil em Sorocaba

Contando com uma rápida solução para ter o fone e o meu número de volta, subscrevo-me.

MARILEIDE (MARY) DANTAS AGOSTINELLI

Comentários