Do leitor

Km 98 da Raposo

Hoje (17) mais uma vez tivemos mais um acidente na rodovia Raposo Tavares, graças a Deus sem vítimas. Como já manifestei do trágico acidente ocorrido dia 14 de março, que não seria o último, porque os motoristas infratores são os causadores e os órgãos públicos nada fazem. Escrevi à CCR uma sugestão que parece razoável, bastaria mudar a posição do radar colocando antes da pista descendente, digamos km 97, (sentido interior-capital), sinalizando que há alteração da velocidade da via, e óbvio que radares ali instalados multariam os infratores sempre.
Estamos cansados de ver órgãos responsáveis dando respostas evasivas sem o mínimo de responsabilidade. Como ouvi pelo noticiário que a “velocidade deve ser respeitada em toda via”. Sim, está correto, porém cabe ao órgão público de trânsito responsável atuar na engenharia de tráfego, evitando criar armadilhas, como do radar que está posicionado no Km 98 + 300m que está a poucos metros da ponte (local dos acidentes). Agora teremos a atuação do promotor público que já tomou corpo no caso, e a conversa será outra, esperamos que o jogo de empurra-empurra acabe.
JOSÉ LUIZ MONTEIRO

Resposta: A CCR ViaOeste informa que recebeu a sugestão enviada pelo Senhor José Luiz Monteiro através da Ouvidoria da concessionária e encaminhou para o setor responsável pela operação viária para análise.
CCR VIAOESTE

Leia mais  Diretoria da FUA

ENGAVETAMENTO GRAVE

O mais recente engavetamento envolvendo múltiplos veículos, resultando em várias vítimas, havido no fatídico km 99 da Raposo Tavares — palco de incontáveis acidentes inclusive com vítimas fatais — talvez pudesse ser evitado ou, no mínimo, teria suas consequências substancialmente reduzidas, caso a velocidade máxima ali permitida para caminhões não fosse a mesma que lhes é autorizada nas melhores estradas do país, como Bandeirantes, Castelo Branco e Imigrantes. Ressalte-se que naquele perigoso trecho em acentuado declive, pontos sem acostamento, como no local da ocorrência, apenas os automóveis devem reduzir a velocidade para os mesmos 90 km/h possibilitados aos pesados.
LUIS CARLOS DE OLIVEIRA

Resposta: Não houve resposta da Artesp.

Comentários