Do leitor

Falta de medicamento

"A saúde do contribuinte é tratada como segundo plano" - Luiz Cláudio Rodrigues
Fachada do Hospital Leonor Mendes de Barros. Crédito da foto: Erick Pinheiro / Arquivo JCS (27/10/2011)

Desde o dia 21 de maio, quando foi dado entrada no pedido de medicamento (Bezafibrato 400 mg) na Rede Integrada de Farmácias do Hospital Leonor, em Sorocaba, tenho como resposta — sempre automática e na mesmice de sempre — que o medicamento não está disponível.

A saúde do contribuinte é tratada como segundo plano. Sem a menor consideração das suas necessidades, colocam as burocracias da administração como eixo principal. É sempre bom lembrar que estamos em pleno ano eleitoral e os serviços prestados pelo Estado são de grande valia e peso nas urnas. Políticos que se prezam colocam seus eleitores em primeiro plano, principalmente quando se trata de vidas em jogo.

LUIZ CLÁUDIO RODRIGUES 

Resposta – A Coordenadoria de Assistência Farmacêutica esclarece que o Bezafibrato 400 mg, utilizado pelo sr. Luiz Cláudio Rodrigues, está em fase de aquisição. O paciente será comunicado tão logo haja disponibilidade do item.

SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO

Comentários
Assuntos