Buscar no Cruzeiro

Buscar

Acervo

A volta do belo falcão peregrino

25 de Fevereiro de 2021

A volta do belo falcão peregrino Hayabusa pode acelerar de 0 a 100 km/h em 3,2 segundos. Crédito da foto: Divulgação

A Suzuki Hayabusa (falcão peregrino) está de volta. Após um hiato de quase três anos, a superesportiva que surgiu em 1999 como a motocicleta de rua mais rápida do mundo chega à terceira geração e faz parte da linha 2021 da marca japonesa.

O estilo foi renovado e há tecnologias inéditas. No novo visual, o destaque são as linhas retas. Os faróis ganharam iluminação por LEDs, tecnologia que está também nas luzes de uso diurno.

Oferecida com três opções de combinação de cores: branca e azul, preta e dourada e prata e vermelha, na linha 2021 a Hayabusa mantém o porte avantajado, mas oferece ampla lista de acessórios. É o caso do para-brisa mais alto e das saídas de escapamento, da eslovena Akrapovic, especializada em modelos esportivos. Há ainda capa dos retrovisores feitas de fibra de carbono e manoplas aquecidas. A nova moto pesa 264 kg -- 2 kg a menos que a anterior.

O motor de quatro cilindros em linha e 1.340 cm³ é baseado no do modelo de segunda geração. Mas, para atender às regras de emissões de poluentes mais rígidas (Euro 5), perdeu potência e está mais sedento.

Embora a velocidade máxima divulgada pela marca permaneça em 299 km/h, o novo modelo pode acelerar de 0 a 100 km/h em 3,2 segundos. Antes eram necessários 3,4 segundos.

Além disso, os freios são da linha Stylema, da italiana Brembo. As rodas são de liga leve, têm sete raios, 17 polegadas e calçam pneus esportivos Bridgestone S22.

A nova Hayabusa traz controle eletrônico de tração com dez níveis de atuação, além de vários modos de condução. O acelerador é eletrônico e há assistente de partida em rampa. O painel tem tela TFT e visual inspirado no da moto da primeira geração. O sistema não tem conexão com smartphones.

Nos EUA, o preço da Hayabusa é de US$ 18.599 (cerca de R$ 100 mil). O novo modelo virá ao Brasil, mas a data de estreia e preço não foram revelados. (Estadão Conteúdo)