fbpx
Nutrição

Nutricionistas dão dicas para elaborar dieta balanceada

A alimentação é o combustível da saúde, e reúne as pessoas com alegria e prazer à volta da mesa
Alimentação colorida, que misture carnes e gorduras saudáveis, verduras, legumes e cereais, faz bem ao corpo e à alma. Crédito da foto: Reprodução da Internet

“A saúde começa pela boca” é uma máxima muito conhecida e hoje, quando se comemora o Dia Mundial da Saúde, as nutricionistas Mariana Maciel e Aline Quissak apontam para a importância da boa alimentação em uma vida saudável. Refeições balanceadas e coloridas, priorizando ingredientes naturais, segundo as profissionais, levam à longevidade e à qualidade de vida.

Aline explica que não há uma alimentação mais adequada para cada etapa da vida. Segundo ela, refeições que incluam frutas e verduras, cereais como arroz, aveia, centeio, e leguminosas, fazem bem para pessoas de todas as faixas etárias. A nutricionista também destaca a importância de não pular refeições, e que o ideal seria que as pessoas fizessem cinco refeições diárias: café da manhã, almoço, café da tarde, jantar e ceia.

No café da manhã Aline recomenda sempre ingerir uma fruta e também um alimento rico em proteína, que pode ser ovos, queijos ou tofu (queijo de soja), por exemplo. O tradicional arroz e feijão é uma boa opção para o almoço, mas pode ser substituído por lentilha, grão-de-bico ou ervilha.

Folhas escuras e ao menos duas variedades de legumes também tornam a refeição mais saudável, assim como carnes com pouca gordura. O mesmo vale para o jantar, que pode contar com sopas à base de vegetais. Para os lanches, chás, frutas e castanhas são boas alternativas.

Leia mais  Estilo de vida pode reduzir morte por câncer em um terço no Brasil

 

Sobre uma dieta ideal para os adeptos de atividade física, Aline explica que não há um modo correto, generalizado. “Nem todos precisam se alimentar antes da atividade física, mas todos que sentem fraqueza, tontura ou baixo desempenho devem fazer uma refeição leve e composta por fruta, mel ou melado de cana, uma gordura boa, como pasta de amendoim, castanhas, coco ralado, abacate ou açaí”, sugere. Após a atividade física, ela destaca que é importante tomar muita água ou água de coco.

 

Aline Quissak recomenda frutas e alimentos ricos em proteínas no café da manhã. Crédito da foto: Divulgação

A alimentação, afirma Aline, além de ser o combustível da saúde, faz a união entre o prazer em comer e a vida social e cultural, o que resulta em qualidade de vida. “No mundo repleto de estresse e ansiedade, a alimentação saudável não só auxilia na prevenção de doenças como no equilíbrio fisiológico e emocional para enfrentar os desafios da correria do dia a dia.”

Leia mais  Saúde é fruto da genética, do ambiente e dos hábitos

 

Para quem busca por uma reeducação alimentar, a nutricionista explica ser necessário entender que a alimentação deve ser uma prioridade de vida, “afinal, sem saúde não conseguimos conquistar nada”. Mais do que modismo, estética ou fitness, reeducação alimentar, afirma Aline, é respeitar o próprio corpo escolhendo alimentos de qualidade, frescos, frutas e verduras, evitando enlatados, refrigerantes, balas, chicletes, frituras, caldo de legumes em tabletes e em pó, e sucos industrializados.

Fazer boas escolhas

Mariana explica que na hora de selecionar o que deve ser ingerido diariamente, as pessoas devem dar preferência para alimentos frescos, que não tenham passado por nenhum ou por pouco processos de beneficiamento. “As pessoas devem tentar desembalar menos e preparar mais os alimentos em casa, envolvendo a família sempre que possível”, afirma a nutricionista.

Utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar também pode render alguns anos a mais de vida, reduzindo doenças. Mariana destaca que esses itens não são vilões, apenas precisam ser consumidos na dosagem certa. “O brasileiro, em média, consome sódio demais, então vale a pena reduzir a quantidade de sal adicionada nos preparos e também evitar os alimentos que contêm sódio demais em sua composição.”

Alimentos processados e ultraprocessados, afirma Mariana, devem ser evitados, pois a maneira como são preparados altera desfavoravelmente sua composição nutricional. Ela afirma que não há problemas ingerir esses produtos esporadicamente, mas eles não devem ser a base dos cardápios diários.

É importante manter uma rotina de alimentação, tentando ter uma regularidade nos horários das refeições principais, como café, almoço e janta, além de evitar ficar beliscando ao longo do dia, aconselha Mariana. “Coma sentado, devagar, mastigando bem e não combine a refeição com outras atividades, como ler ou assistir televisão”, revela a nutricionista. (Larissa Pessoa)

 

Comentários