Cuide-se

Secretaria da Saúde libera remédios de hepatite C para aposentado de Sorocaba

Medicamentos Ledipasvir, Sofosbuvir e Ribavirina são suficientes para tratamento nos próximos três meses
Secretaria da Saúde libera remédios para hepatite C
A farmácia de alto custo funciona junto ao Hospital Regional de Sorocaba. Crédito da foto: Míriam Bonora (10/7/2013)

Depois de aguardar por um ano a liberação de medicamentos de alto custo provenientes do Ministério da Saúde, o aposentado Antonio Luiz Pereira, 59 anos, paciente com diagnóstico de hepatite C, conseguiu retirar os remédios na última sexta-feira na farmácia de alto custo que funciona junto ao Hospital Regional de Sorocaba.

Leia mais  Número de pacientes com hepatite cai 7% em 10 anos no Brasil

 

A reportagem levou a história ao conhecimento da Secretaria da Saúde de São Paulo e a pasta informou que os medicamentos Ledipasvir, Sofosbuvir e Ribavirina já estavam disponíveis para Pereira na farmácia de alto custo de Sorocaba. Ele recebeu o aviso da farmácia e foi retirar os medicamentos.

Agora, conforme relatou Pereira, os remédios são suficientes para o tratamento nos próximos três meses. Após esse prazo, ele realizará exames médicos novamente e o resultado determinará a continuidade ou não do tratamento, segundo a avaliação médica.

Ele foi diagnosticado com Hepatite C em 2004 e fez tratamento até 2005 com a combinação da injeção Pegasus (mais conhecido como “Interferaon”) com o comprimido Ribavirina, que se mostrou ineficaz.

Após esse período, aguardou até o ano passado a liberação de um outro medicamento, o Daclatasvir 33 mg – importado dos EUA. Esse medicamento deixou de constar de uma lista definida pelo Ministério da Saúde. Nova lista foi definida pelo órgão federal e nela constam os remédios retirados por Pereira.

A Secretaria da Saúde de São Paulo informou que os medicamentos para o tratamento de Hepatite C são adquiridos e enviados aos Estados pelo Ministério da Saúde, que definiu neste ano um novo Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas. O primeiro lote desses remédios foi recebido somente em julho.

O órgão federal ainda deveria ter enviado mais um lote do medicamento “Ribavirina” em agosto, mas isso ainda não ocorreu até o momento, informa nota da Secretaria. (Da Redação)

Comentários