Buscar no Cruzeiro

Buscar

Vacinação

EUA liberam uso da Pfizer em adolescentes de 12 a 15 anos

Vacinação para essa faixa etária foi autorizada após revisão dos estudos

12 de Maio de 2021 às 00:01
Da Redação com Estadão Conteúdo
Imunizante só era aplicado em pessoas com 16 anos ou mais.
Imunizante só era aplicado em pessoas com 16 anos ou mais. (Crédito: THOMAS KIENZLE / AFP)

A Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês) autorizou nesta segunda-feira (10), o uso da vacina contra a Covid-19 da Pfizer/Biontech em adolescentes de 12 a 15 anos. Até agora, só era permitida a aplicação do imunizante em pessoas com 16 anos ou mais.

“A ação permite que uma população mais jovem seja protegida do Covid-19, aproximando-nos do retorno à normalidade e do fim da pandemia”, afirmou em nota a comissária em exercício da FDA, Janet Woodcock.

De acordo com a autoridade, foi realizada uma revisão rigorosa e completa de todos os dados disponíveis da vacina. A avaliação concluiu que os benefícios do imunizante para pessoas com 12 anos ou mais superam os riscos associados à aplicação do produto

“Ter uma vacina autorizada para uma população mais jovem é um passo crítico para continuar a diminuir o imenso fardo de saúde pública causado pela pandemia de Covid-19”, disse o diretor do Centro de Avaliação de Produtos Biológicos da FDA, Peter Marks.

Johnson & Johnson

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos reiterou ontem (11), que a aplicação da vacina contra a Covid-19 da Johnson & Johnson tem vantagens que superam os “raros” riscos. O imunizante já havia voltado a ser aplicado no país, após uma pausa em virtude da possível formação de coágulos. Em comunicado, o CDC ressaltou que os alérgicos a alguns dos ingredientes presentes na vacina não devem tomar a dose, mas que, tirando tais exceções, o produto é recomendado a todos os adultos acima dos 18 anos.

Além disso, o Centro lembrou que os cidadãos devem receber a vacina que estiver disponível no momento, sendo todas as marcas aplicadas nos EUA atualmente seguras. “No entanto, as mulheres com menos de 50 anos, especialmente, devem estar cientes do raro risco de coágulos sanguíneos com plaquetas baixas após a vacinação, e que outras vacinas contra Covid-19 em que esse risco não foi observado estão disponíveis”, afirma comunicado do CDC. (Da Redação com Estadão Conteúdo)