Buscar no Cruzeiro

Buscar

Economia

Bolsonaro, Guedes e Lira discutem combustíveis

Reuniões devem seguir neste fim de semana para encontrar alternativas de redução de preços

02 de Outubro de 2021 às 00:01
Estadão Conteúdo e Redação
Presidente Jair Bolsonaro disse que busca solução.
Presidente Jair Bolsonaro disse que busca solução. (Crédito: MARCELO CAMARGO / ARQUIVO AGÊNCIA BRASIL (15/9/2021))

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que recebeu “uma missão” no café da manhã de ontem no Palácio da Alvorada com o presidente Jair Bolsonaro e o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). Guedes não foi explícito sobre qual missão seria essa, embora Lira tenha afirmado ao deixar o encontro que a pauta foi o preço dos combustíveis e a agenda econômica.

“Temos que aprovar coisas importantes que nos condicionam para estender o Bolsa Família. Esse final de ano é decisivo, porque precisamos botar de pé a reforma do Imposto de Renda e a PEC dos Precatórios. Com essas duas peças, poderemos aumentar Bolsa Família em 60% -- mais que a alta de alimentos e combustíveis - de forma a proteger essa camada de brasileiros que foi também atingida pela pandemia”, afirmou, durante participação virtual em cerimônia de assinatura de acordos de cooperação e contratos de cessão imobiliária em Florianópolis (SC).

O presidente Jair Bolsonaro disse ontem a apoiadores que se reuniu com Guedes e Lira para discutir a alta dos combustíveis. Segundo o chefe do Executivo, os três voltarão a se encontrar ao longo do final de semana, como já havia informado Lira mais cedo. “Vamos ver solução, alternativa”, afirmou Bolsonaro.

“Quando se fala em Petrobras, preço de combustíveis... Temos leis para cumprir. Sou obrigado a cumprir leis e não reclamo disso, não. Mas a composição dos preços, como que pode... A gente é autossuficiente em petróleo, retira a mais ou menos 15 dólares e vocês pagam a quase 80, é algo acertado lá atrás”, voltou a comentar Bolsonaro sobre a política de paridade de preços da estatal, elogiada pelo mercado. “Bento Albuquerque ministro de Minas e Energia precisa rezar um Pai Nosso, está sentado em cima de abacaxi enorme”, acrescentou, lembrando aos apoiadores, em seguida, que a inflação da energia “arrasta tudo” -- isto é, impacta outras formações de preços.

Os encontros de Bolsonaro com Lira e Guedes vêm em meio à pressão do governo sobre o Congresso para aprovar projeto de lei que obriga Estados a fixarem um valor nominal do ICMS incidente sobre combustíveis.

Na quinta-feira, em transmissão ao vivo nas redes sociais, o presidente citou a possibilidade de repassar dividendos da Petrobras a um fundo regulador de combustíveis, que possa modular as oscilações dos preços.

Lira disse que tem discutido com líderes da base do governo propostas que busquem melhorar a composição de preços dos combustíveis de forma a mantê-los mais estáveis diante das variações do dólar e do barril do petróleo. Uma das propostas, segundo ele, seria a criação de um fundo “para dar conforto às oscilações”. (Estadão Conteúdo e Redação)