Buscar no Cruzeiro

Buscar

Geral

Transporte de pets é suspenso após morte

19 de Outubro de 2021 às 00:01
Estadão Conteúdo [email protected]
O cão Weiser, da raça american bully, morreu em viagem.
O cão Weiser, da raça american bully, morreu em viagem. (Crédito: REPRODUÇÃO / ARQUIVO PESSOAL)

Na última quinta-feira, 14, um cão da raça american bully morreu ao ser transportado no porão pela companhia aérea Latam em um voo entre Guarulhos e Aracaju. A nutricionista Giulia Conte, irmã do tutor, contou o caso nas redes sociais, e culpou a empresa pelo óbito. O laudo, segundo a aérea, mostra que o cachorro morreu por asfixia por roer a caixa em que era transportado, mas afirma ter seguido os protocolos para transporte de animais. Após o ocorrido, a Latam suspendeu a venda para o transporte de pets no porão das aeronaves pelos 30 próximos dias para o mercado brasileiro.

A nutricionista afirmou, nos stories de seu perfil no Instagram, ser “mais um caso de morte animal por causa da Latam”. Seu vídeo contando sobre o caso conta com mais de cinco milhões de visualizações no Instagram. Ela afirma que a empresa exigiu que o cão fosse levado ao aeroporto pelo menos três horas antes do embarque, e levou-o às 8h da manhã para o voo que partiria às 12h30, do Aeroporto de Guarulhos rumo ao Aeroporto de Aracaju. Desde a chegada ao local, o animal teria sido acomodado dentro da caixa em que seria transportado.

Em nota, a aérea diz que o laudo emitido pela clínica veterinária que atendeu o cão mostra que ele roeu o kennel de madeira em que estava e se asfixiou, mas pontua que “o kennel estava em concordância com o processo de transporte de animais e de grande porte da Latam”. (Estadão Conteúdo)