Buscar no Cruzeiro

Buscar

Vacinação

Saúde vai abolir intervalo para vacinação contra Covid e gripe

A informação foi confirmada pelo ministro Marcelo Queiroga

30 de Setembro de 2021 às 00:01
Agência Brasil
As duas vacinas poderão ser ministradas concomitantemente.
As duas vacinas poderão ser ministradas concomitantemente. (Crédito: ARQUIVO JCS)

O Ministério da Saúde recomendou a suspensão do intervalo entre a aplicação das vacinas contra a Covid-19 e contra o vírus Influenza, causador da gripe. A informação foi confirmada pelo titular da pasta, Marcelo Queiroga, em rede social.

“Proteção em dose dupla: a nova recomendação do @minsaude retira o intervalo entre as vacinas da influenza e da #Covid19. A vacina da gripe pode ser aplicada a partir dos 6 meses de vida. Toda população pode ir a um posto de saúde e garantir sua imunização contra a gripe!”, disse Queiroga por meio de sua conta no Twitter.

O ministro não informou quando a nova recomendação vai começar a valer. A decisão foi tomada após reunião da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização (CTAI), que recomendou ao Ministério da Saúde o fim do prazo mínimo para a aplicação entre as vacinas, com o objetivo de aumentar a vacinação contra as duas doenças.

Atualmente, o Programa Nacional de Imunização (PNI) prevê que o intervalo entre as vacinas deve ser de, no mínimo, 14 dias.

Atraso na 2ª dose

A Fundação Oswaldo Cruz lançou ontem (29) o primeiro Boletim VigiVac, que acompanha o cumprimento do esquema vacinal proposto contra a Covid-19. Dessa forma, é verificada a efetividade das vacinas utilizadas pelo PNI no Brasil.

Os primeiros resultados, feitos com base nos dados lançados até o dia 15 de setembro, mostram que a taxa de atraso nacional na segunda dose para todas as vacinas é de 11%, sendo de 15% para a Astrazeneca, 33% para a Coronavac e 1% para a Pfizer-BioNTech. (Agência Brasil)