Buscar no Cruzeiro

Buscar

Geral

Pacheco: ‘eleições são inegociáveis’

10 de Julho de 2021 às 00:01
Estadão Conteúdo
Rodrigo Pacheco falou em entrevista coletiva.
Rodrigo Pacheco falou em entrevista coletiva. (Crédito: PEDRO GONTIJO / AG. SENADO (9/7/2021))

Diante da escalada nas ameaças do presidente Jair Bolsonaro às eleições do ano que vem, o presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), reagiu ontem, em coletiva de imprensa, com um duro recado ao chefe do Executivo. Pacheco disse que não aceitará ataques à democracia. “Todo aquele que pretender algum retrocesso ao estado democrático de direito, esteja certo, será apontado pelo povo brasileiro e pela história como inimigo da nação”, afirmou, em referência ao que chamou de “especulações sobre 2022”.

Sobre a possível adoção do voto impresso, defendida por Bolsonaro, Pacheco disse que essa questão será definida pelo Congresso, e não pelo Executivo nem pela Justiça. “Sem ataques a pessoas, mas com discussões de ideias”, afirmou Pacheco.

O presidente do Senado foi enfático ao defender a independência e as prerrogativas dos parlamentares e ao dizer que “não podemos admitir qualquer fala ou ato que seja atentatório à democracia”. “Eleições são realidade no Brasil e são inegociáveis”, disse.

A apoiadores, o presidente fez uma ameaça de que as eleições do ano que vem podem não ocorrer caso a medida não seja adotada. “Não tenho medo de eleições, entrego a faixa para quem ganhar, no voto auditável e confiável. Dessa forma, corremos o risco de não ter eleições no ano que vem, porque o futuro de vocês que está em jogo”, disse Bolsonaro. (Estadão Conteúdo)