Buscar no Cruzeiro

Buscar

Saúde

OMS vê cenário da pandemia 'misto'; América do Sul tem alta de casos

Segundo a organização, os casos e morte globais por Covid-19 diminuíram pela sexta e quinta semana seguidas, respectivamente

07 de Junho de 2021 às 13:40
Estadão Conteúdo [email protected]
Tedros Adhanom Ghebreyesus é diretor-geral da OMS. Crédito da foto: Fabrice Coffrini / Pool / AFP (3/7/2020)
Adhanom sugere que vacinas sejam compartilhadas a países emergentes. (Crédito: Tedros Adhanom Ghebreyesus é diretor-geral da OMS. Crédito da foto: Fabrice Coffrini / Pool / AFP (3/7/2020))

Diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom classificou o cenário da pandemia de coronavírus como "misto", durante coletiva de imprensa da entidade nesta segunda-feira (7). De acordo com ele, enquanto os casos e mortes globais por Covid-19 diminuíram pela sexta e quinta semana seguidas, respectivamente, as regiões da América do Sul, África e Ásia-Pacífico seguem registrando um aumento nas infecções.

Para frear esta tendência, é necessário que mais doses de vacinas contra a doença sejam compartilhadas a países emergentes, disse Tedros.

A meta da OMS é vacinar 70% da população mundial para acabar com a pandemia até o fim de 2021. De acordo com o diretor-geral, os líderes do Grupo dos Sete (G-7), que se reúnem a partir da próxima sexta-feira (11), em Londres, "têm o poder" necessário para ajudar a atingir a meta.

Enquanto mais vacinas não estão disponíveis, países com altas taxas de infecções do vírus devem manter medidas sanitárias para restringir as contaminações, especialmente considerando a capacidade transmissiva da variante delta do sars-cov-2, identificada pela primeira vez na Índia.

No domingo (6), o secretário de Saúde do Reino Unido, Matt Hancock, afirmou que esta cepa tem potencial de contágio 40% maior que a variante britânica (B.1.1.7), e dificulta a reabertura das atividades no país.