Buscar no Cruzeiro

Buscar

Coronavírus

MG confirma primeiro caso de cepa indiana

29 de Maio de 2021 às 00:01
Da Redação com Estadão Conteúdo
A variante indiana da Covid-19 pode ser mais transmissível do que a cepa original do vírus.
A variante indiana da Covid-19 pode ser mais transmissível do que a cepa original do vírus. (Crédito: Divulgação )

O governo de Minas Gerais confirmou ontem a identificação de um paciente infectado com a cepa indiana do coronavírus, em Juiz de Fora. O homem, que está internado no Hospital Santa Casa de Misericórdia, se deslocou de carro de São Paulo até o município mineiro. No Espírito Santo três indianos estão sendo monitorados pelo governo estadual.

Segundo comunicado oficial, ele teve contato apenas com sua esposa, que está assintomática e segue sendo monitorada e em isolamento domiciliar.

Registrada pela primeira vez na Índia, em dezembro de 2020, a mutação B.1.617 já foi identificada inicialmente nos Estados do Maranhão, onde foram diagnosticados seis tripulantes de um navio cargueiro vindo da África, e São Paulo, em um paciente que teria viajado ao país asiático.

Na quarta-feira, 27, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) do Rio informou que um passageiro que veio da Índia e testou positivo para a cepa indiana do SARS-CoV-2 está em quarentena. Segundo o órgão, todas as pessoas que tiveram contato com o caso estão sob monitoramento.

Espírito Santo

A Secretaria de Saúde do Espírito Santo está monitorando três hóspedes vindos da Índia que apresentaram sintomas da Covid-19 e podem estar infectados pela variante indiana. Um dos viajantes já recebeu o resultado positivo para Covid-19 ontem (28), e agora aguarda a análise da Fiocruz para identificar a possível infecção pela nova cepa.

Segundo o governo do Espírito Santo, o Estado solicitou prioridade à Fiocruz e espera que no prazo de cinco dias possam dar a resposta sobre a variante que infectou o hóspede da Índia (Da Redação com Estadão Conteúdo)