Buscar no Cruzeiro

Buscar

Pandemia

Ceará monitora caso suspeito de variante indiana da Covid-19

O paciente voltou de uma viagem ao país asiático no dia 9 de maio

21 de Maio de 2021 às 14:46
Da Redação com Estadão Conteúdo
A variante indiana da Covid-19 pode ser mais transmissível do que a cepa original do vírus
A variante indiana da Covid-19 pode ser mais transmissível do que a cepa original do vírus (Crédito: Divulgação )

 

O Ceará informou ontem, que monitora um caso suspeito da variante B.1.617 do coronavírus, que surgiu na Índia Anteontem foi confirmado um caso no Maranhão. A Prefeitura de São Paulo estuda a aplicação de barreiras sanitárias em pontos de entrada da cidade, como aeroportos e rodoviárias, para controlar a chegada de pessoas que possam estar contaminadas com a variante identificada pela primeira vez na Índia do novo coronavírus, e o Maranhão, após a confirmação do primeiro caso da nova cepa indiana no Estado, segue fazendo o monitoramento de mais de 100 pessoas.

Com a preocupação crescendo com mais uma variante no País, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou ontem que todas as medidas sanitárias já foram tomadas para isolar a cepa, mas lembrou que o fenômeno biológico não obedece leis exatas e necessita de todo o cuidado. Segundo o ministro a confirmação é um caso isolado no País.

Em comunicado oficial publicado em sua página na internet, a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) informou que recebeu em 17 de maio notificação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre um caso suspeito da variante indiana em Fortaleza No dia seguinte, já foi realizada visita técnica ao local de isolamento do viajante, que desembarcou de avião vindo da Índia no dia 9. Segundo a Sesa, trata-se de um paciente de 35 anos que fez dois exames RT-PCR nos dias 10 e 11 e ambos deram positivo para a B.1.617. Uma semana depois, repetiu o exame e o resultado foi negativo. O colega de empresa que o acompanhou durante a viagem também fez testes para identificar a infecção nos dias 10 e 12 e os resultados foram negativos.

A Fiocruz está fazendo o sequenciamento genômico para determinar se o homem foi infectado pela variante indiana. A secretaria acompanha o processo.

O ministro Queiroga também disse que mantém conversas com secretários estaduais de Saúde e principalmente com o do Estado do Maranhão, Carlos Lula, e a contaminação atual se trata de caso isolado. “Todas as medidas sanitárias foram tomadas e nós esperamos que não haja uma propagação dessa variante indiana aqui no Brasil”, disse o ministro a jornalistas.

Sob controle

O Maranhão, por sua vez, está monitorando cem pessoas que trabalham no hospital onde um paciente infectado está internado, procedente do navio MV Shandong da ZHI. O governo do Estado informou que esses trabalhadores já haviam sido vacinados, mas continuam a ser periodicamente testados. A embarcação está ancorada a 50 quilômetros da costa e ainda não tem permissão para atracar no porto maranhense. Todos os tripulantes estão isolados em cabines individuais.

Além do paciente internado, outras 14 pessoas que estão a bordo do navio foram diagnosticadas com Covid-19. A maioria apresenta sintomas leves da doença ou é assintomática e pelo menos seis delas também foram infectadas pela variante indiana. Duas pessoas chegaram a receber atendimento hospitalar, mas apresentaram melhora e retornaram à embarcação. (Da Redação com Estadão Conteúdo)