Buscar no Cruzeiro

Buscar

Política

Aliado de Bolsonaro, Ciro Nogueira vota por acordo com Renan na relatoria de CPI

Renan não só é crítico do presidente Jair Bolsonaro como também é aliado do ex-presidente Lula

29 de Abril de 2021 às 14:21
Estadão Conteúdo
Brazilian President Jair Bolsonaro delivers a statement to members of the media on the resumption of emergency aid payments to the population most affected by the COVID-19 pandemic in the country, at Planalto palace in Brasilia, on March 31, 2021. President Jair Bolsonaro will replace all three commanders of Brazil's armed forces, his government said Tuesday, the latest upheaval in Brasilia as the far-right leader braces against mounting criticism over an explosion of Covid-19 deaths. / AFP / EVARISTO SA
Brazilian President Jair Bolsonaro delivers a statement to members of the media on the resumption of emergency aid payments to the population most affected by the COVID-19 pandemic in the country, at Planalto palace in Brasilia, on March 31, 2021. President Jair Bolsonaro will replace all three commanders of Brazil's armed forces, his government said Tuesday, the latest upheaval in Brasilia as the far-right leader braces against mounting criticism over an explosion of Covid-19 deaths. / AFP / EVARISTO SA (Crédito: Brazilian President Jair Bolsonaro delivers a statement to members of the media on the resumption of emergency aid payments to the population most affected by the COVID-19 pandemic in the country, at Planalto palace in Brasilia, on March 31, 2021. President Jair Bolsonaro will replace all three commanders of Brazil's armed forces, his government said Tuesday, the latest upheaval in Brasilia as the far-right leader braces against mounting criticism over an explosion of Covid-19 deaths. / AFP / EVARISTO SA)

O presidente nacional do Progressistas, senador Ciro Nogueira (PI), foi o único governista da CPI da Covid a votar em Omar Aziz (PSD-AM) para a presidência da Comissão Parlamentar de Inquérito. O senador do PSD fez um acordo com a maioria do colegiado para indicar o senador Renan Calheiros (MDB-AL) para a relatoria. O emedebista não só é crítico do presidente Jair Bolsonaro como também é aliado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Os outros três senadores governistas da CPI - Eduardo Girão (Podemos-CE), Jorginho Mello (PL-SC) e Marcos Rogério (DEM-RR) -, votaram em Girão, que queria quebrar o acordo e impedir que Renan fosse escolhido relator. O senador desejado pelo governo para a relatoria era Marcos Rogério, que é vice-líder do Executivo.

O voto de Nogueira contraria o que ele disse na sexta-feira passada, dia 23. O senador criticou a escolha do senador Renan Calheiros como relator da CPI da Covid. "Em mais de duas décadas no Congresso Nacional, é a primeira vez que eu vejo uma candidatura de um 'meio' relator em uma CPI. Se o senador Renan Calheiros se vê impedido, e nisso está correto, que seja escolhido um relator imparcial para conduzir os trabalhos de uma CPI tão relevante", afirmou, por meio do Twitter, o senador aliado do presidente Jair Bolsonaro.

Nas plataformas digitais, bolsonaristas batem na tecla de que Renan não pode integrar a CPI por ser pai do governador de Alagoas, Renan Filho (MDB). A CPI vai investigar o destino do dinheiro repassado pelo governo federal a municípios e Estados - entre os quais Alagoas, para o combate à pandemia de covid-19.

A mensagem de Ciro Nogueira foi uma resposta ao que escreveu Renan no Twitter também na sexta. "Desde já me declaro parcial para tratar qualquer tema na CPI que envolva Alagoas. Não relaterei ou votarei. Não há sequer indícios quanto ao Estado, mas a minha suspeição antecipada é decisão de foro íntimo".