Buscar no Cruzeiro

Buscar

Pandemia

Mortes por Covid em SP caem 23,6% após 2 meses de alta

Apesar da redução, a média de diária de óbitos continua acima de 600, patamar considerado elevado

23 de Abril de 2021 às 15:39
Da Redação [email protected]
Atualmente, a média diária de mortes em decorrência da Covid-19 é de 621 no Estado. Antes, chegava a 813
Atualmente, a média diária de mortes em decorrência da Covid-19 é de 621 no Estado. Antes, chegava a 813 (Crédito: Miguel Schincariol/ AFP (14/04/2021) )

O Estado de São Paulo registrou queda de 23,6% no número de mortes por Covid-19, após dois meses seguidos de alta. O governo estadual fez o anúncio na tarde desta sexta-feira (23), durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista.  A média diária de óbitos, entretanto, continua acima 600, patamar considerado elevado. Na ocasião, a Secretaria de Estado da Saúde também afirmou que as internações e os novos casos confirmados de coronavírus vêm caindo semanalmente, desde março. 

Segundo o governo, nesta semana epidemiológica, a média diária de mortes em decorrência de casos graves da doença é de 621. No período anterior, a média alcançava 813. "É a primeira vez que os indicadores de casos, internações e óbitos estão em queda neste período", disse o vice-governador e secretário de governo, Rodrigo Garcia. O secretário atribuiu os resultados ao avanço da vacinação no Estado, às medidas restritivas do Plano São Paulo e ao apoio da população no enfrentamento da pandemia.

Ainda conforme o governo de São Paulo, desde meados de fevereiro, o número de mortes apontava crescimento semanal. As médias superavam mais de 100 óbitos, a cada nova semana. De acordo com o Estado, patamares abaixo dessa média começaram a ser constatados a partir da segunda quinzena de março, simultaneamente ao período de vigência da fase emergencial.

A média de casos também caiu desde a última semana, em 14,3%, passando de 14.921 para 12.784 infectados. O pico de casos foi verificado há três semanas, com 16.453 confirmações entre os dias 4 e 10 de abril.

Já as internações tiveram declínio de 4,5%, baixando de 2.411 para 2.303, nas duas últimas semanas. Neste caso, a tendência de queda se mantém desde a última semana de março, quando houve 3.381 hospitalizações por Covid-19.

Recursos para vacinação

Ainda na coletiva, Garcia anunciou o repasse de R$ 33,3 milhões às prefeituras de São Paulo, para auxiliar em ações de vacinação. Os recursos estaduais deverão ser usados para a compra de insumos e pagamento das equipes de atendimento de vacinação. O dinheiro será aplicado tanto na campanha de imunização contra Covid-19, quanto da gripe.

Estudos clínicos da Butanvac

O vice-governador informou, ainda, que o Instituto Butantan encaminhou Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o protocolo final para início dos estudos clínicos da Butanvac. A vacina brasileira deve ser produzida sem necessidade de importação de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA).

Os testes de fases 1 e 2 com o imunizante em humanos devem começar logo após a autorização por parte do órgão regulador. “Esperamos ter, até o mês de junho, ou julho, pelo menos 40 milhões de doses dessa vacina que estará aguardando o resultado do estudo clínico’" projeta o presidente do Butantan, Dimas Covas.

Os estudos deverão começar com 1,8 mil voluntários. Já a fase 3, com maior escala de participantes, deverá incluir 9 mil pessoas. As avaliações devem ser realizadas a partir de comparativo de respostas vacinais em relação a ensaios clínicos já realizados.

Esses ensaios deverão durar cerca de 20 semanas. Serão feitos com voluntários adultos a partir dos 18 anos de idade. Tanto quem já tomou a vacina, quanto quem teve a doença poderá participar. (Com informações do Governo do Estado de São Paulo)