Exterior

Sobe o número de pessoas mortas em ataque no Texas

O atirador feriu um policial, fugiu e continuou atirando contra pessoas inocentes e em outros automóveis
Durante a perseguição, que durou mais de uma hora, os habitantes das duas cidades foram orientados a não sair de casa. Crédito da foto: Reprodução

Subiu de cinco para sete o número de mortos após um ataque a tiros no Estado do Texas, nos Estados Unidos, conforme informações da imprensa local neste domingo (1º). Cerca de 20 pessoas foram baleadas nas cidades de Midland e Odessa, neste sábado (31). A polícia havia confirmado, logo após o ataque, cinco mortos e 21 feridos. Outras duas pessoas morreram após serem atendidas em hospitais.

O suspeito foi identificado pelos policiais como Seth Aaron Ator, de 36 anos, residente de Odessa. Ele foi morto pelas forças de segurança em frente a um complexo de cinema da cidade. Inicialmente, as autoridades suspeitaram do envolvimento de um segundo suspeito.

O agente do FBI Christopher Combs afirmou neste domingo (1º) que os investigadores não acreditam que o criminoso tenha conexão com grupos terroristas.

Leia mais  Ataque a tiros na Alemanha foi transmitido ao vivo na internet por 35 minutos

O tiroteio começou quando um policial tentou parar o veículo em que Seth estava na rodovia Interestadual 20 por volta das 14h30 horário local, entre Odessa e Midland. Ele não teria sinalizado que iria pegar uma das saídas da rodovia.

Ao ser parado, “o motorista, único ocupante do automóvel, apontou um fuzil pela janela e deu vários tiros contra a patrulha”, informou o Departamento de Segurança Pública do Texas em um comunicado.

O atirador feriu um policial, fugiu e continuou atirando contra pessoas inocentes e outros automóveis no trajeto entre as duas cidades, distantes 32 km uma da outra.

O atirador abandonou o carro em que estava e roubou uma caminhonete dos correios. É possível que o funcionário do serviço postal esteja entre as vítimas.

Durante a perseguição, que durou mais de uma hora, os habitantes das duas cidades foram orientados a não sair de casa.

Leia mais  Fórmula 1: Tufão Hagibis afeta programação do GP do Japão

Há menos de um mês, os Estados Unidos enfrentaram dois ataques a tiros em menos de 24 horas. No dia 3 de agosto, um homem portando fuzil entrou em um centro comercial em El Paso, também no Texas e assassinou 20 pessoas. No dia 4, um atirador matou 9 frequentadores de um bar em Ohio, incluindo a própria irmã.

Através de uma mensagem postada no Twitter, o presidente Donald Trump parabenizou a polícia do Texas, o FBI e as equipes de resgate pela conduta na “terrível tragédia com disparos de ontem… Uma situação muito difícil e triste!”.

Mais tarde, ao falar com jornalistas no jardim da Casa Branca, ele disse que, embora tenham sido realizadas discussões com congressistas de ambos partidos para conter a violência armada no país, o que aconteceu “realmente não mudou nada” na política de porte e posse de armas do país. (Estadão Conteúdo)

Comentários

CLASSICRUZEIRO