Exterior

Secretário de Estado dos EUA enviou carta em resposta à intimação do Congresso

Congresso quer que ele entregue documentos relacionados ao inquérito de impeachment aberto contra Trump
Secretário de Estado dos EUA enviou carta em resposta à intimação do Congresso
Mike Pompeo é secretário de Estado americano. Crédito da foto: Savo Prelevic / AFP (4/10/2019)

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, disse que o Departamento de Estado enviou uma carta em resposta à intimação do Congresso para que ele entregue documentos relacionados ao inquérito de impeachment aberto contra o presidente Donald Trump.

Pompeo tinha o prazo de até sexta-feira, 4, para entregar a documentação referente às negociações do Departamento de Estado com Rudy Giuliani, advogado pessoal de Trump, e à ligação telefônica de 25 de julho entre o presidente americano e o mandatário ucraniano Volodymyr Zelenski.

Em uma coletiva de imprensa em Atenas, neste sábado, Pompeo disse que a carta foi entregue na noite de sexta-feira, a tempo de cumprir o prazo, como primeira resposta à intimação. O secretário de Estado, no entanto, não enviou os documentos solicitados pelo Congresso.

Um funcionário do Comitê de Relações Exteriores da Câmara disse que ‘o secretário Pompeo não cumpriu o prazo para produzir os documentos exigidos pela intimação. No entanto, o Departamento de Estado entrou em contato com os Comitês sobre esse assunto e esperamos que o Departamento coopere totalmente.‘

Em Atenas, Pompeo afirmou também que ficou claro para ele que o inquérito de impeachment foi motivado pela política e que os esforços dos Estados Unidos para pressionar a Ucrânia a combater a corrupção eram adequados.

O secretário de Estado evitou responder diretamente a perguntas sobre o pedido do presidente Trump ao seu homólogo ucraniano, em julho, para investigar o filho de Joe Biden, um importante rival político.

Na noite de sexta-feira, 4, deputados do Partido Democrata também intimaram a Casa Branca e o vice-presidente, Mike Pence, a entregarem documentos relacionados às ligações entre Trump e Zelenski. (Estadão Conteúdo)

Leia mais  Equador prende 350 pessoas após manifestações contra aumento do combustível
Comentários

CLASSICRUZEIRO