Exterior

Rússia retira bloqueio de aplicativo de mensagens

Bloqueio durou dois anos, embora não tenha alcançado grandes resultados
Autoridades denunciam que o Telegram é usado por grupos terroristas ou para atividades ilegais. Crédito da foto: Marcello Casal Jr. agência Brasil

A Rússia anunciou nesta quinta-feira (18) sua intenção de suspender a proibição do popular sistema de mensagens criptografadas Telegram, depois de parabenizar a empresa pelo renovado compromisso de combater o extremismo.

O bloqueio durou dois anos, embora não tenha alcançado grandes resultados.

“Avaliamos positivamente a vontade expressa pelo fundador do Telegram de combater o terrorismo e o extremismo e (…) suprimimos as exigências para limitar o acesso às mensagens”, informou a agência russa de controle dos meios de comunicação Roskomnadzor.

As autoridades russas ordenaram em 2018 o bloqueio do Telegram, que reivindica mais de 400 milhões de usuários (30 milhões na Rússia), porque se recusou a fornecer às autoridades acesso às mensagens dos usuários.

As autoridades denunciam que o aplicativo de mensagens criptografadas é usado por grupos terroristas ou para atividades ilegais.

O Telegram foi criado em 2013 pelo russo Pavel Dourov. Até agora, a empresa se recusou a colaborar com as autoridades e contornou com sucesso o bloqueio.

Dourov disse estar satisfeito com a decisão, que “pode ter um impacto positivo na inovação e segurança nacional do país”.

O fundador do Telegram garantiu que a rede melhorou sua capacidade de “detectar e eliminar propaganda extremista”.

O telegrama era amplamente utilizado por altos funcionários e agências russas até sua proibição, e muitos membros do governo continuaram a usá-lo posteriormente. (AFP)

Comentários