Exterior

Protestos dos “coletes amarelos” perdem força na França

Centenas de bloqueios dos manifestantes foram desmantelados pelas forças de segurança
Sexto sábado consecutivo de protestes. Crédito da foto: AFP/ Charly Triballeau

 

Os protestos dos “coletes amarelos” perderam força neste sábado na França, com menos de mil manifestantes em Parias, em uma nova jornada de mobilização, marcada pela 10ª vítima fatal vinculada ao movimento.

O Parlamento francês aprovou em definitivo na sexta-feira à noite as medidas de urgência de 10 bilhões de euros para reduzir a pressão fiscal e aumentar o poder aquisitivo, principais reivindicações dos “coletes amarelos”. Mas vários deles não parecem dispostos a encerrar a mobilização, que provocou a pior crise social desde que Emmanuel Macron chegou ao poder, há 19 meses.

O novo sábado de protestos, o sexto consecutivo, prometido pelos “coletes amarelos”, mobilizou um número bem menor de manifestantes.

Diante do Castelo de Versalhes, situado a 20 km de Paris e visitado por milhões de turistas a cada ano, onde estava prevista uma grande manifestação, apenas 60 “coletes amarelos” estavam presentes ao meio-dia.

Na capital do país, quase 800 “coletes amarelos” protestaram de forma pacífica em vários pontos da cidade, incluindo o bairro turístico de Montmartre, informou a polícia.

Leia mais  Lojistas de carros usados fazem terceiro protesto contra aumento do ICMS

Na avenida Champs Elysées, epicentro das manifestações anteriores, os cafés e restaurantes se preparavam para receber os clientes.

Uma das reivindicações dos manifestantes é o Referendo de Iniciativa Cidadã, que o governo prometeu estudar.

A polícia pediu aos estabelecimentos comerciais parisienses que “mantenham a vigilância”, em um dia muito importante para as compras de Natal.

Na semana passada, 69.000 integrantes das forças de segurança estavam nas ruas, 8.000 deles em Paris, apoiados por veículos blindados da polícia.

Os “coletes amarelos” também convocaram bloqueios aos caminhões nas fronteiras.

Mais de 300 manifestantes bloquearam neste sábado uma via de acesso a uma rodovia em Boulou, perto da fronteira com a Espanha.

Eles permitiam a passagem dos veículos, mas fechavam a passagem aos caminhões, símbolos das importações espanholas na França, criticadas por seus preços abaixo do que o movimento considera justo.

Dezenas de militantes separatistas da Catalunha se uniram aos manifestantes franceses.

Leia mais  Jogos de Tóquio: futuro presidente promoverá igualdade de gênero

Os “coletes amarelos” respeitaram um minuto de silêncio em homenagem à 10ª morte vinculada aos protestos, que foi registrada na sexta-feira, quando um motorista bateu em um caminhão que estava parado em um ponto de bloqueio em uma rodovia perto de Perpignan, sul do país.

Perturbações também foram registradas na fronteira com a Bélgica.

A incógnita deste sábado era o número de participantes. Desde o auge em 17 de novembro, com 282.000 manifestantes, a mobilização não para de cair: em 24 de novembro foram 166.000 pessoas, nos dias 1 e 8 de dezembro 136.000 e na semana passada 66.000 “coletes amarelos”.

Centenas de bloqueios dos manifestantes foram desmantelados pelas forças de segurança. (AFP/Alexandra Del Peral com Loïc Vennin) 

Comentários