Exterior

Papa faz 1ª viagem ao Iraque

Papa faz 1ª viagem ao Iraque
Francisco pediu união entre cristãos e mulçumanos. Crédito da foto: Ayman Henna / AFP

O papa Francisco abriu a primeira visita papal ao Iraque ontem (5), com um apelo para que o país proteja sua diversidade centenária, exortando aos muçulmanos a abraçarem seus vizinhos cristãos como um recurso precioso e pedindo o respeito à comunidade cristã, “embora pequena como um grão de mostarda”. Francisco deixou de lado a pandemia do coronavírus e as preocupações com a segurança para retomar seu papado mundial, após um hiato de um ano com o bloqueio na Cidade do Vaticano. Seu principal objetivo no fim de semana é encorajar a população cristã cada vez menor do Iraque, que foi violentamente perseguida pelo Estado Islâmico e que ainda enfrenta a discriminação da maioria muçulmana, a ficar e ajudar a reconstruir o país devastado por guerras e conflitos. Ele foi o primeiro chefe da Igreja a visitar o Iraque

O governo iraquiano está ansioso para mostrar a relativa estabilidade que alcançou após a derrota do ‘califado‘ do Estado Islâmico. No entanto, as medidas de segurança eram rígidas.

Segurança

Francisco, que prefere estar com a multidão e em um papamóvel aberto, foi transportado por Bagdá em um BMWi750 preto blindado, acompanhado por fileiras de policiais em motocicletas.

Leia mais  Quatro pessoas, incluindo uma criança, morrem em tiroteio na Califórnia 

Possivelmente incomodando por sua dor no nervo ciático, o papa mancou visivelmente durante a tarde. Ele, que está com 84 anos, quase tropeçou ao subir os degraus da catedral e um funcionário teve que ampará-lo.

A visita ao Iraque está de acordo com o esforço de longa data de Francisco para melhorar as relações com o mundo muçulmano, que se acelerou nos últimos anos com sua amizade com um importante clérigo sunita, o xeque Ahmed el-Tayeb. A situação atingirá um novo recorde com seu encontro no sábado com o principal clérigo xiita do Iraque, o Grande Aiatolá Ali al-Sistani, uma figura reverenciada em todo o mundo muçulmano. (Estadão Conteúdo)

Comentários