Buscar no Cruzeiro

Buscar

Acervo

ONU inicia escolha de membros para o Conselho de Segurança

18 de Junho de 2020

ONU inicia escolha de membros para o Conselho de Segurança Escolha é para cinco vagas de membros não permanentes. Crédito da foto: Divulgação

A Assembleia Geral da ONU começou a votar nesta quarta-feira (17) cinco membros não permanentes do Conselho de Segurança para 2021 e 2022, em uma eleição na qual Djibuti e Quênia se enfrentam por um assento, e Canadá, Noruega e Irlanda disputam outros dois.

Para a região da América Latina e Caribe, o México tem a vaga assegurada como candidato único, a mesma situação da Índia para o grupo Ásia-Pacífico.

Como aconteceu em oportunidades anteriores, a África não conseguiu, porém, apresentar apenas um candidato para a cadeira que corresponde ao continente.

Enquanto o Quênia afirma que tem o apoio da União Africana, Djibuti alega ter prioridade em função de um princípio de rodízio e porque Nairóbi já integrou o Conselho mais vezes.

Em suas campanhas, os países rivais -- diferentes também pelo idioma, inglês e francês -- destacaram suas ações para garantir a paz na região conturbada do Chifre da África.

O Quênia destacou sua recepção aos refugiados somalis e do sul do Sudão, assim como o apoio aos governos dos países afetados. Djibuti, com uma situação geográfica estratégica e que tem bases militares americana, francesa, chinesa e japonesa, também ressalta seu papel para pacificar a Somália.

O grupo da Europa ocidental e outros, que está acostumado à disputa, observa o embate entre Canadá, Irlanda e Noruega por duas cadeiras.

Em sua última tentativa, em 2010, o Canadá sofreu uma dura derrota para Portugal. Um novo revés pode ter consequências políticas para o primeiro-ministro Justin Trudeau.

“Em momentos em que grandes países estão se afastando um pouco do cenário global, acredito profundamente que o Canadá pode e deve avançar no cenário mundial”, disse Trudeau nesta quarta.

Cada um dos 193 membros da ONU pôde votar ontem, de acordo com um horário previamente estabelecido.

Para obter uma cadeira no Conselho é necessária a maioria de dois terços, ou seja, 128 votos em caso de participação dos 193 membros das Nações Unidas. Não está descartada a possibilidade de várias rodadas de votação em meio a uma disputa acirrada entre os candidatos.

O Conselho de Segurança tem 15 membros: cinco deles permanentes (EUA, China, Grã-Bretanha, França e Rússia) e dez não permanentes, renovados de cinco em cinco todos os anos.

Na eleição desta quarta-feira (17), os membros da Assembleia Geral também escolheriam o próximo presidente para a sessão 2020-2021. Apenas um candidato está na disputa, o ex-ministro e diplomata turco Volkan Bozkir.

Recentemente, porém, Grécia, Armênia e Chipre expressaram sua oposição a sua designação por consenso e pediram uma votação secreta. (Philippe Rater - AFP)