Exterior

OMS alerta para aumento de casos na América e na África

Organização Nacional Indígena da Colômbia denuncia o perigo da Amazônia colombiana ser invadida pela doença por meio do Brasil
Infectados devem desenvolver 'alguma proteção' contra Covid-19, esclarece OMS
OMS afirma que é esperado que a “maioria das pessoas infectadas pela covid-19” desenvolva anticorpos que deem algum tipo de proteção contra a doença. Crédito da foto: AFP/Adrian DENNIS

Diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus afirmou nesta quarta-feira (6) que já foram reportados mais de 3,5 milhões de casos de coronavírus à entidade, com quase 250 mil mortes reportadas. No início de uma entrevista coletiva da entidade, Ghebreyesus notou que em parte da Europa os casos têm diminuído, mas em outros ainda crescem, inclusive nas Américas.

“Embora o número de casos da Covid-19 reportados pela Europa Ocidental esteja declinando, mais casos têm sido reportados a cada dia no leste Europeu, na África, no sudeste Asiático, no leste do Mediterrâneo e nas Américas”, afirmou Ghebreyesus.

Em suas declarações iniciais, o diretor-geral da OMS informou que a entidade, aliada a outras, como o Unicef, publicam diretrizes para os países sobre como manter a saúde comunitária, mesmo em um contexto de combate à pandemia. Ele também alertou para o risco de que uma crise como atual acentue desigualdades.

Leia mais  Vacinação contra a gripe deve atingir 80 milhões de pessoas

Amazônia

A Organização Nacional Indígena da Colômbia (ONIC) denuncia o perigo da Amazônia colombiana ser invadida pela doença por meio do Brasil, o maior foco da Covid-19 na América Latina. Situada na parte sul da Colômbia, a parte amazônica tem uma taxa de 30 casos a cada 10.000 habitantes, a pior do país, seguida de Bogotá. (Estadão Conteúdo e AFP)

Comentários