Exterior

Maré ajuda a liberar meganavio que bloqueou canal de Suez

Maré ajuda a liberar meganavio que bloqueou canal de Suez
Imagem de satélite mostra o Ever Given sendo rebocado após a desobstrução do canal de Suez. Crédito da foto: AFP Photo / Maxar Technologies

O gigantesco navio de carga que bloqueava o Canal de Suez foi finalmente desencalhado ontem, liberando uma das rotas marítimas mais importantes do mundo, após causar um prejuízo diário de US$ 9,6 bilhões, segundo estimativas. Equipes de salvamento, trabalhando em terra e água por seis dias, foram finalmente ajudadas por uma força mais poderosa do que qualquer máquina: a maré.

Em poucas horas, os 425 navios que esperavam para cruzar a hidrovia de 193 quilômetros de comprimento que conecta o Mediterrâneo ao Mar Vermelho, ligaram seus motores e começaram a se mover novamente. Os efeitos indiretos do bloqueio de uma semana de uma rota por onde passa 12% do comércio global ainda não estão claros.

Mohab Mamish, conselheiro do presidente egípcio, Abdel Fattah al-Sisi, disse que levará cerca de uma semana para que os navios na entrada do canal passem. Segundo ele, para acabar com o engarrafamento de navios levará mais do que o dobro do tempo.

Leia mais  Papa preside Via Crucis sem público

Além das transportadoras, o Egito também sofreu danos econômicos com o bloqueio. O país perdeu cerca de US$ 15 milhões em taxas por dia em que o canal não esteve operacional. As perdas causadas pelos atrasos nas entregas também devem provocar uma enxurrada de sinistros de seguros, o que pode levantar questões sobre quem deve ser responsabilizado pelo incidente.

O Ever Given foi liberado por volta das 15h (10h em Brasília) e as buzinas dos reboques e das outras embarcações soaram em comemoração, enquanto surgiam nas redes sociais imagens do porta-contêineres mais uma vez em movimento. Os rebocadores puxaram a embarcação até um grande lago, no meio da hidrovia, onde passará por inspeções.

Na madrugada de ontem, a popa do Ever Given estava claramente livre da terra, mas se passaram algumas horas até que a proa do navio fosse puxada com sucesso da lama e sujeira nas margens do canal, onde a embarcação ficou encalhada.

As equipes de salvamento agiram em torno de um cronograma ditado em grande parte pelas marés: trabalhar rapidamente durante as seis horas que levaria para a água ir do ponto baixo ao mais alto.

Leia mais  China sobrevoa a zona de defesa de Taiwan após advertência dos EUA

A lua cheia deu às empresas holandesa e japonesa contratadas para desencalhar o Ever Given uma janela de 24 horas promissora para trabalhar. Durante toda a noite de domingo, e até ontem, os rebocadores trabalharam em coordenação com as dragas para devolver o navio de 219 mil toneladas à água.

Então, pouco antes do amanhecer, o navio lentamente começou a flutuar. Foi uma grande vitória em uma das maiores e mais intensas operações de salvamento da história moderna da navegação. As equipes dragaram 30 mil metros cúbicos de areia e mobilizaram 13 rebocadores. (Das agências internacionais)

Comentários