Exterior

Investigação sobre ataque a faca em Paris detém oito suspeitos

Ataque a faca deixou dois feridos graves próximo a ex-sede do Charlie Hebdo
Duas pessoas ficaram gravemente feridas durante ataque em Paris. Crédito da Foto: Alain Jocard/AFP

Oito pessoas estão detidas sob custódia policial na manhã deste domingo (27) em meio à investigação sobre o ataque com faca ocorrido na sexta-feira em Paris, que tinha como objetivo a ex-sede do semanário satírico Charlie Hebdo, provocando dois feridos graves, informou uma fonte judicial à AFP.

No sábado à tarde, foi detido um “ex co-inquilino” em Cergy (departamento de Val d’Oise, norte de Paris) do principal suspeito, que se apresenta como Hassan A., paquistanês de 18 anos.

Os oito que estão sob custódia policial são: quem se identifica como Hassan A., cinco ex-co-inquilinos de seu apartamento em Pantin (ao norte de Paris), seu irmão mais novo e uma conhecida.

Na noite de sexta-feira, um homem à princípio considerado suspeito e colocado sob custódia policial, “Youssef”, argelino de 33 anos, foi solto. O homem, um “herói” segundo seu advogado, na verdade tentou deter o atacante com uma faca, o que depois corroborou a investigação.

O principal suspeito do ataque em frente às ex-instalações do Charlie Hebdo, “assumiu sua responsabilidade” no ato neste sábado, admitindo que mirou no semanário que recentemente voltou a publicar caricaturas do profeta Maomé, segundo fontes próximas à investigação.

Leia mais  Auroras boreais podem ser vistas nas noites geladas do Norte da Europa

Este jovem, nascido no Paquistão, acreditava que os locais atacados ainda pertenciam ao Charlie Hebdo, segundo as mesmas fontes.

A redação do Charlie Hebdo, que foi transferida para um local secreto há quatro anos, tem sido alvo de novas ameaças desde que este semanário satírico voltou a publicar as caricaturas de Maomé, em 2 de setembro, com motivo da abertura do julgamento dos cúmplices dos autores do sangrento atentado em 2015. (AFP)

Comentários