Covid-19 Exterior

Facebook bloqueia Maduro por defender remédio ‘milagroso’ contra Covid

Durante um mês, o presidente da Venezuela não poderá publicar mensagens ou fazer comentários na rede social
Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, não poderá publicar por mensagens na rede social por um mês. Crédito da foto: Jhonn Zerpa/ Venezuelan Presidency/AFP

O Facebook suspendeu por um mês a página do presidente venezuelano Nicolás Maduro, por violar as políticas contra a divulgação de informações falsas sobre a Covid-19 e promover um remédio que ele afirma, sem evidências, ser capaz de curar a doença.

Maduro descreveu o Carvativir, uma solução oral derivada do tomilho, erva com usos medicinais e ornamentais, como um medicamento “milagroso” que neutraliza o coronavírus e não apresenta efeito colateral. Não há comprovação científica que apoie a versão.

O presidente venezuelano diz que o Carvativir, chamado por ele de “gotas milagrosas” do médico venezuelano do século 19, José Gregorio Hernández, beatificado pela Igreja Católica Romana, pode ser usado preventiva e terapeuticamente contra a Covid-19.

O Facebook retirou do ar um vídeo no qual Maduro promove o medicamento, por violar uma política contra alegações falsas “de que algo pode garantir a prevenção contra Covid-19 ou pode garantir a recuperação da covid-19”.

A plataforma acrescentou: “Seguimos a orientação da Organização Mundial da Saúde que diz que hoje não há medicamento para curar o vírus. Em razão de repetidas violações de nossas regras, também estamos congelando a página por 30 dias, durante os quais ela será somente leitura” A conta de Maduro na plataforma de compartilhamento de fotos Instagram, propriedade do Facebook, não será afetada.

Leia mais  Campeã mundial de basquete, Ruth de Souza morre de Covid-19

Maduro já havia criticado o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, por não ter sido autorizado a publicar vídeos nos quais falava sobre o medicamento. “Eles censuram todos os vídeos nos quais eu mostro o Carvativir”, argumentou o mandatário em 2 de fevereiro. “Quem manda na Venezuela, o dono do Facebook? Quem manda no mundo, o dono do Facebook? Abusadores. Zuckerberg, tremendo abusador. O mundo tem de refletir sobre os abusos das redes sociais. São pessoas multimilionárias que querem impor as suas verdades, as suas razões, os seus abusos ao mundo”, acrescentou.

A Organização Pan-Americana de Saúde e a Academia Nacional de Medicina da Venezuela pediram em vão ao governo do país a divulgação de estudos que comprovem a eficácia do Carvativir. (Estadão Conteúdo)

Comentários