Buscar no Cruzeiro

Buscar

Explosões em Beirute deixam 27 mortos e 2.500 feridos

04 de Agosto de 2020 às 14:26

Explosões fazem dezenas de feridos em Beirute Explosão em Beirute formou uma coluna de fumaça. Crédito da foto: Anwar Amro (4/8/2020)

Atualizada às 16h44

As potentes explosões que sacudiram nesta terça-feira (4) o porto de Beirute deixaram 27 mortos e 2.500 feridos. As estimativas preliminares foram anunciadas pelo ministro da Saúde, Hamad Hassan.

"É uma catástrofe em todos os sentidos do termo", lamentou Hassan, em declarações a várias emissoras de televisão após visitar um hospital na capital libanesa. "Os hospitais da capital estão todos cheios de feridos", acrescentou, pedindo que os outros feridos sejam transferidos para estabelecimentos nos subúrbios da cidade.

[gallery link="file" columns="1" size="medium" ids="277572,277568"]

Segundo a agência de notícias estatal, a fonte da explosão foi um incêndio em um armazém com produtos inflamáveis confiscados nas proximidades do porto. As causas não foram esclarecidas.

O ministério da Saúde informou que centenas de pessoas ficaram feridas após a explosão. Um hospital da região estava lotado e mandando feridos embora por falta de capacidade para atendimento.

Explosões em Beirute deixam 27 mortos e 2.500 feridos Explosão danificou uma vasta área de Beirute. Crédito da foto: Marwan Tahtah / AFP (4/8/2020)

A Cruz Vermelha libanesa afirmou que qualquer ambulância disponível no norte ou sul do país e em Bekaa seria enviada para Beirute. Nas redes sociais, moradores relatam que janelas de edifícios e vitrines de lojas estilhaçaram.

Conversando com repórteres, o chefe de segurança interna do Líbano, Abbas Ibrahim, se recusou a especular sobre a causa da explosão. Segundo ele, "não podemos antecipar as investigações".

Nas proximidades do distrito portuário, os danos e a destruição são enormes. Muitos residentes feridos andavam nas ruas em direção a hospitais e carros foram abandonados nas ruas com os airbags inflados. A mídia local transmitiu imagens de pessoas presas em escombros, algumas cobertas de sangue.

O Líbano atravessa sua pior crise econômica em décadas, marcada por depreciação monetária sem precedentes, hiperinflação, demissões em massa e restrições bancárias drásticas, que alimentam há vários meses o descontentamento social.

[irp posts="277120" ]

 

A Casa Branca informou estar acompanhando com muita atenção o desenvolvimento dos fatos ligados à explosão em Beirute. O presidente Donald Trump foi informado e segue de perto os acontecimentos. (AFP e Estadão Conteúdo)