Buscar no Cruzeiro

Buscar

Acervo

EUA enviaram cinco robôs para Marte. Quando irão os humanos?

26 de Fevereiro de 2021

O helicóptero Ingenuity devem voar em Marte com uma densidade equivalente a apenas 1% da atmosfera terrestre. Crédito da foto: EFE /EPA
/USGS Astrogeology Center/ Agência Brasil

O rover Perseverance da NASA, que pousou em Marte é o quinto a completar a jornada ao planeta vermelho, mas quando os humanos chegarão?

"Entre agora e meados de 2030, talvez comecemos a usar os meios que nos permitem ir à lua para enviar astronautas a Marte", disse Steve Jurczyk, administrador interino da NASA, na quinta-feira.

Os grandes desafios tecnológicos estão mais ou menos resolvidos, mas muitos fatores ainda afastam esse objetivo.

Desafios técnicos

Uma viagem a Marte deve durar cerca de sete meses e, a princípio, os astronautas passariam 30 dias lá, prevê a NASA. O planeta tem uma temperatura média de 63 ° C abaixo de zero, a radiação é alta e o ar é composto por 95% de dióxido de carbono. A gravidade mal chega a 38% da da Terra.

Mas, graças à "Estação Espacial Internacional, aprendemos muito sobre microgravidade", disse G. Scott Hubbard, um ex-funcionário da NASA que liderou o primeiro programa sobre Marte da agência espacial dos EUA. No entanto, vários materiais e técnicas ainda precisam ser testados.

O Perseverance carregou vários instrumentos a bordo com o objetivo de preparar futuras missões humanas. Entre essas ferramentas está o MOXIE, do tamanho de uma bateria de carro, cujo objetivo é tentar produzir oxigênio em Marte, sugando CO2, semelhante a uma planta. Esse oxigênio pode ser usado para respirar e também como combustível.

O famoso programa Artemis de volta à Lua, no qual a NASA concentra seus esforços, é como um ensaio para Marte. A agência quer testar um novo traje espacial, o xEMU, que permitirá maior mobilidade e protegerá os astronautas das baixas temperaturas.

Também será uma oportunidade de instalar uma espécie de usina nuclear na Lua para produzir eletricidade, mesmo durante tempestades de poeira, que podem cobrir o Sol por meses em Marte, impedindo que os painéis solares funcionem.

Qual é o interesse de testar tudo isso na Lua? A possibilidade de envio de equipes de resgate. "Em Marte, se as coisas derem errado e quebrarem, estaremos a anos de casa ", disse à AFP Jonathan McDowell, do Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics.

Para Laura Forczyk, analista do setor espacial, "é possível" enviar humanos a Marte, "mas por enquanto é mais seguro enviar robôs", para os quais os padrões de segurança exigidos são menores.

A SpaceX ultrapassará a NASA?

A SpaceX, do bilionário Elon Musk, pode ultrapassar a agência espacial americana na corrida.

Para a viagem a Marte, a NASA apostou tudo no foguete SLS (Space Launch System), que será testado até o final de 2021, sem humanos a bordo. Um teste do motor do veículo, com acréscimos de custos e atrasos, falhou em janeiro.

Já a SpaceX desenvolve o foguete Starship, com dois protótipos testados recentemente.

Mas, ao contrário das agências de financiamento público, Musk investe seu próprio dinheiro e pode correr riscos. Por isso, "a SpaceX pode ter uma espaçonave pronta antes da NASA", considera G. Scott Hubbard, que chefia um comitê de segurança da empresa.

"No entanto, para ter humanos a bordo, você também precisa de equipamento avançado" para mantê-los vivos, acrescenta ele, e "é nisso que a NASA investiu por décadas". Em vez de serem concorrentes, a NASA e a SpaceX poderiam se unir para realizar a façanha de levar astronautas a Marte. (Issam Ahmed e Lucie Aubourg/AFP)