Exterior

Dois foguetes caem perto da embaixada dos Estados Unidos em Bagdá

O ataque ocorre 24 horas depois do disparo de 22 mísseis iranianos contra bases que abrigam militares americanos
Dois foguetes caem em Bagdá perto da embaixada dos Estados Unidos
Grupo de pessoas ao redor do corpo de Abu Mahdi al-Muhandis. Crédito da foto: Haidar Hamdani / AFP (8/1/2020)

Dois foguetes caíram nesta quarta-feira (8) à noite na Zona Verde de Bagdá. No local fica a embaixada americana no Iraque, informou à AFP um alto funcionário dos serviços de segurança.

Jornalistas da AFP ouviram explosões no centro da capital iraniana. Em seguida, sirenes foram ativadas.

O ataque ocorre 24 horas depois do disparo de 22 mísseis iranianos contra bases que abrigam militares americanos e da coalizão internacional em Bagdá. Na ocasião, ninguém morreu.

Terceira investida

Trata-se da terceira investida contra a Zona Verde desde que um ataque dos Estados Unidos utilizando um drone assassinou o general iraniano Qassem Soleimani e o homem do Irã no Iraque, Abu Mahdi al Muhandis. As mortes ocorreram há cinco dias, na capital iraquiana.

Muhandis era o número dois do grupo Hashed al Shaabi, uma rede de milícias armadas incorporadas às forças de segurança iraquianas com vínculos estreitos com Teerã. Os Estados Unidos acusaram os grupos Hashed de estar por trás dos ataques com foguetes à embaixada americana em Bagdá e às bases que abrigam tropas americanas no país.

Vingança

Nesta quarta-feira, as facções mais radicais do Hashed anunciaram que vingariam os ataques americanos. O chefe paramilitar Qais al Jazali – considerado “terrorista” pelos Estados Unidos – disse que a resposta do Iraque aos Estados Unidos “não será menor que a resposta iraniana”.

Harakat al Nujaba, uma facção de linha-dura do Hashed, anunciou que vingaria a morte de Muhandis. “Soldados americanos, não fechem os olhos. A vingança pela morte do mártir Muhandis está vindo pelas mãos dos iraquianos até que seu último soldado tenha ido embora”, disse. (AFP)

Leia mais  Trump anuncia sanções adicionais e imediatas contra o Irã
Comentários