Exterior

Denunciante de Trump deve testemunhar em breve, afirma comitê da Câmara dos EUA

Nesta semana Nancy Pelosi, anunciou a instauração de uma investigação de impeachment contra Trump
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que deseja negociar um acordo de livre-comércio com o Brasil.
Donald Trump é o presidente dos EUA. Crédito da foto: Andrew Caballero-Reynolds / AFP (30/7/2019)

O responsável pela denúncia anônima que embasou a abertura de investigação para um possível impeachment do presidente americano Donald Trump testemunhará na Câmara dos Representantes “muito em breve”, afirmou neste domingo Adam Schiff, democrata e presidente da Comissão de Inteligência da Casa. Ao programa “This Week” da ABC, ele afirmou que a Câmara está tomando “todas as precauções” para proteger a identidade do denunciante.

Nesta semana, a presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, anunciou a instauração de uma investigação de impeachment contra Trump. O processo se baseia em revelações de que o presidente americano teria conversado por oito vezes com o presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, e pressionado o líder para que o país iniciasse investigações sobre negócios realizados pelo ex-vice-presidente Joe Biden e seu filho na Ucrânia, sob pena de não receber US$ 250 milhões de ajuda militar dos EUA. Biden é um dos pré-candidatos democratas para representar o partido nas eleições à Casa Branca em 2020.

Também ao programa “This Week”, o advogado pessoal de Trump e ex-prefeito de Nova York, Rudy Giuliani, havia dito que não cooperaria com a investigação de Schiff, acusando o congressista de conduta injusta. No entanto, Giuliani rapidamente voltou atrás e disse que consideraria testemunhar. “Eu tenho que ser guiado pelo meu cliente”, disse.

A denúncia anônima coloca Giuliani como peça-chave na investigação de impeachment. (Agência Estado)

Comentários