Covid-19 Exterior

Covid-19: entrega de vacinas da AstraZeneca aguarda dados de testes

Pico de infecções no verão britânico atrasou resultados do teste

 

Vacina da Universidade de Oxford pode ter registro aprovado em junho de 2021
A vacina está sendo testada simultaneamente em 50 mil pessoas em todo o mundo. Crédito da foto: Douglas Magno / AFP (26/3/2020)

Um pico de infecções por coronavírus durante o verão britânico atrasou os resultados do teste da possível vacina contra covid-19 da AstraZeneca, levando a farmacêutica a adiar a entrega de vacinas ao governo do Reino Unido.

Ontem (4) a AstraZeneca informou que só receberá 4 milhões de doses da vacina em potencial neste ano – a estimativa inicial era de 30 milhões de doses até 30 de setembro.

Nesta quinta-feira (5), a AstraZeneca disse que está segurando as entregas enquanto aguarda os dados de testes clínicos de estágio avançado para maximizar a duração dos suprimentos nas prateleiras.

Os últimos ajustes da vacina

A empresa está mantendo as vacinas congeladas e só acrescentará um último ingrediente, mantendo-as em frascos e preservando-as em temperatura de geladeira quando a vacina estiver perto de obter uma aprovação.

“Estamos um pouco atrasados nas entregas, e é por isso que a vacina vem sendo mantida em forma congelada”, disse o presidente executivo, Pascal Soriot, em uma teleconferência.

Leia mais  Sorocaba registra mais 62 pacientes recuperados da Covid-19

Soriot acrescentou que a AstraZeneca está preparada para lançar a vacina quando estiver pronta e disse que o cronograma semanal de entregas da empresa deve acompanhar aproximadamente o que o governo britânico tem em mente para seus planos de vacinação.

A AstraZeneca e sua parceira no projeto, a Universidade de Oxford, disseram que os dados dos testes de estágio avançado devem surgir ainda neste ano. (Agência Brasil)

Comentários