Exterior

Conservadores organizam primeira votação entre candidatos a suceder May

Boris Johnson, de 54 anos, é apontado como o favorito
Boris Johnson é favorito ao cargo – Foto: Tolga Akmen/AFP (12/06/2019)

Os deputados conservadores britânicos organizam nesta quinta-feira (12) a primeira de uma série de votações para reduzir de 10 para dois o número de candidatos a suceder Theresa May na liderança do partido, como chefe de Governo e à frente das negociações do Brexit.

Depois de reconhecer a incapacidade para concretizar o Brexit, após a rejeição do Parlamento ao acordo de divórcio que negociou durante dois anos com Bruxelas, May renunciou na sexta-feira (7) como líder do Partido Conservador britânico. Ela permanecerá como primeira-ministra até que o partido designe um sucessor, um processo que deve terminar em julho.

Duas mulheres e oito homens apresentaram suas candidaturas, mas o número começará a cair progressivamente a partir desta quinta-feira: os 313 deputados do partido devem votar durante a manhã.

Todos os candidatos com menos de 17 votos serão eliminados. Caso todos os aspirantes recebam a votação mínima, aquele com menor apoio será retirado do grupo.

Leia mais  Estados Unidos pedem ao Reino Unido extradição de Assange

 

A operação será organizada novamente na próxima semana, co o aumento do número de apoios necessários, até que restem apenas dois nomes, que serão submetidos à votação dos 160.000 membros do partido entre meados e o fim de julho.

O carismático e polêmico Boris Johnson, de 54 anos, ex-ministro das Relações Exteriores e ex-prefeito de Londres, conhecido pelas declarações incendiárias, é apontado como o favorito e suas palavras são examinadas com cuidado.

No lançamento oficial de sua campanha na quarta-feira (12), ele pareceu suavizar o tom a respeito da União Europeia (UE).

Ele ressaltou a determinação de tirar o país do bloco em 31 de outubro, sem solicitar outros adiamentos, mas afirmou que só contempla concretizar a medida sem um acordo como “último recurso”, caso não consiga renegociar os termos do divórcio. (Anna Cuenca – AFP)

Comentários

CLASSICRUZEIRO