Exterior

Ataque ‘terrorista’ com faca, em rua comercial de Londres, deixa feridos

Polícia matou o agressor após o caso ser registrado na Streatham High Road, por volta das 14h, horário local
 Ataque ‘terrorista’ com faca, em rua comercial de Londres, deixa dois feridos
Policial monitora a área onde ocorreu o ataque, que foi isolada. Crédito da foto: AFP/Isabel Infantes

 

Um ataque com faca, classificado como “terrorista”, em uma rua comercial do sul de Londres deixou pelo menos dois feridos neste domingo, 2, informou a polícia, que matou o agressor.

O ato aconteceu dois meses depois do ataque com faca que deixou dois mortos na Ponte de Londres, em pleno centro da capital britânica, que levou o governo de Boris Johnson, conservador, a anunciar um endurecimento da legislação antiterrorista.

A agressão deste domingo aconteceu por volta das 14h (11h de Brasília) no bairro residencial de Streatham. Depois de informar que agentes abriram fogo contra um homem que “esfaqueou várias pessoas”, a polícia indicou que duas pessoas ficaram feridas.

“Esperamos atualizações sobre suas condições”, afirmou a polícia no Twitter, em uma mensagem na qual também informou que o ataque foi “totalmente contido”. “Podemos confirmar que o homem no qual a polícia atirou por volta das 2h PM hoje em #Streatham High Road foi declarado morto”, afirmou a força de segurança. “As circunstâncias estão sendo examinadas, o incidente foi declarado terrorista”, completa a nota.

Testemunhos

No Twitter, o primeiro-ministro Boris Johnson agradeceu o trabalho dos serviços de emergência e mencionou “os feridos e os que se viram afetados”. O prefeito de Londres, Sadiq Khan, também agradeceu a polícia e os serviços de emergência. “Os terroristas querem nos dividir e destruir nosso estilo de vida. Em Londres, nunca deixaremos que consigam”, escreveu em um comunicado.

Leia mais  Em Jerusalém, Páscoa é revivida

Vídeos publicados nas redes sociais mostram supostas imagens do incidente, com policiais cercando um homem deitado no chão em Streatham High Road. Os agentes o retiram do local e pedem aos curiosos que se afastem da cena, enquanto vários veículos de emergência chegam ao local.

Gulled Bulhan, um estudante de 19 anos, declarou à agência britânica Press Association que viu o ataque. “Vi um homem com um facão e cilindros prateados no peito sendo perseguido pelo que, eu entendi, era um oficial de polícia disfarçado, pois estava à paisana”, disse. “Então atiraram no homem. Acho que ouvi três tiros, mas não consigo lembrar bem”, completou.

Mais casos

A capital inglesa foi cenário de vários ataques nos últimos anos. O mais recente aconteceu em 29 de novembro de 2019, quando um homem matou duas pessoas a facadas na Ponte de Londres, no centro da cidade. A polícia matou o agressor. O autor do atentado, reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI), Usman Khan, de 28 anos, havia passado um período detido por terrorismo, mas ganhou a liberdade depois de cumprir metade de sua condenação. Ele estava no local do ataque para participar em um programa de reabilitação para ex-detentos.

Desde então, o governo de Boris Johnson anunciou medidas para aumentar as penas dos condenados por atos terroristas e para proibir a liberdade antecipada. O projeto, que será examinado pelo Parlamento, prevê penas de pelo menos 14 anos por atos “terroristas”. Também prevê um aumento do orçamento para a luta contra o terrorismo em 2020/2021 e uma ajuda imediata de 500.000 libras adicionais (586.000 euros) para a unidade responsável por apoiar as vítimas de atentados. (Charlotte Durand/AFP)

Comentários