Esporte

Tricolor arranca empate

Com dois a mais, São Paulo sofre para obter um 3 a 3 com o Fortaleza
Tricolor arranca empate
Brenner, artilheiro são-paulino no ano, marcou dois gols sobre o time de Rogério Ceni na Arena Castelão. Crédito da foto: LC Moreira / Estadão Conteúdo (14/10/2020)

Em mais um reencontro entre o técnico Rogério Ceni e o clube defendido por ele durante toda sua carreira como jogador, Fortaleza e São Paulo fizeram um grande jogo ontem (14), no Castelão, na abertura das oitavas de final da Copa do Brasil. Eletrizante, o jogo foi cheio de alternativas, teve duas expulsões do lado do time cearense e terminou empatado em 3 a 3 — na primeira vez que Ceni não saiu de campo derrotado pelo seu ex-clube.

O primeiro tempo foi eletrizante. O Fortaleza abriu o placar logo no início, em jogada de bola aérea muito trabalhada por Rogério Ceni. Após cobrança de escanteio, Paulão ganhou Daniel Alves pelo alto e cabeceou firme. O goleiro Tiago Volpi defendeu, mas, no rebote, David foi mais rápido: 1 a 0.

Mesmo atrás do placar, o São Paulo não mudou sua forma de atuar. E foi recompensado com o gol de empate. Aos 15 minutos, Gabriel Sara foi até a linha de fundo e cruzou rasteiro para trás. Luciano chutou errado e Brenner aproveitou que estava livre de marcação na pequena área, escorando para as redes.

Logo o Fortaleza estava na frente do placar mais uma vez. Aos 20, o lateral-direito Tinga carregou a bola pela intermediária em direção ao gol e arriscou um chute forte de fora da área. Tiago Volpi se esticou para tentar espalmar, mas a bola entrou no ângulo.

De tanto insistir, o São Paulo conseguiu novo empate antes do fim do primeiro tempo. Aos 43, Gabriel Sara tocou de calcanhar para Igor Vinicius na linha de fundo. O lateral cruzou forte para Luciano marcar o segundo gol do time do Morumbi — o goleiro Felipe Alves quase conseguiu fazer a defesa.

Na segunda etapa, aos 10, Gabriel Sara fez passe em velocidade para Brenner, que driblou o goleiro Felipe Alves e foi derrubado. O árbitro deu cartão amarelo para o goleiro, mas após uma revisão de quase dez minutos feita pelo VAR, ele foi expulso de campo.

Aos 19, mesmo com um a menos, o Fortaleza fez o terceiro. Juninho escapou pela direita e cruzou na cabeça de Gabriel Dias, que testou no canto esquerdo. Os cearenses quase marcaram o quarto logo depois. Yuri César recebeu em velocidade, ganhou da defesa e bateu forte na saída de Volpi, mas a bola explodiu no travessão.

Perdendo, Fernando Diniz trocou o zagueiro Bruno Alves pelo meia Vitor Bueno. Depois, ainda mandou a campo Pablo e Paulinho Boia. Aos 42, Carlinhos foi expulso de maneira infantil, por supostamente ter ofendido o árbitro. Bom para o São Paulo, que buscou o terceiro empate no jogo: em jogada de Gabriel Sara, Daniel Alves entrou livre na área e cruzou rasteiro. No bate-rebate, Brenner, artilheiro da equipe em 2020, fez o seu oitavo gol na temporada.

Aos 54 minutos, mais polêmica: em uma revisão de um possível pênalti para o São Paulo, o árbitro consultou o VAR, mas decidiu não assinalar a penalidade. O jogo terminou mesmo empatado em um grande 3 a 3. (Glauco de Pierri – Estadão Conteúdo)

FORTALEZA 3 x 3 SÃO PAULO

Fortaleza – Felipe Alves; Tinga, Jackson (Roger Carvalho), Paulão e Carlinhos; Felipe (Max Walef), Juninho, Ronald, Gabriel Dias e Romarinho; David (Yuri César, depois Bruno Melo). Técnico: Rogério Ceni

São Paulo – Tiago Volpi; Igor Vinícius (Tchê Tchê), Diego, Bruno Alves (Vitor Bueno) e Reinaldo; Luan, Gabriel Sara, Daniel Alves e Igor Gomes; Brenner e Luciano. Técnico: Fernando Diniz

Gols – David, aos 5 minutos; Brenner, aos 16; Tinga, aos 21; e Luciano, aos 44 minutos do 1º tempo; Gabriel Dias, aos 20 minutos; e Brenner, aos 49 minutos do 2º tempo

Cartões amarelos – Felipe, Max Walef e Reinaldo

Cartões vermelhos – Felipe Alves e Carlinhos

Árbitro – Rodolpho Toski Marques (PR)

Local – Arena Castelão, em Fortaleza

Comentários