Buscar no Cruzeiro

Buscar

Acervo

Um time de opostos

12 de Novembro de 2020

Um time de opostos Enquanto a defesa sofreu apenas 13 gols em 14 rodadas, o ataque passou vergonha ao marcar somente nove. Crédito da foto: Fábio Rogério (7/11/2020)

Na zona do rebaixamento do seu grupo na Série C do Campeonato Brasileiro, o São Bento apresenta estatísticas muito diferentes em termos de ataque e defesa na competição. Os números defensivos não parecem de uma equipe que briga para não ser rebaixada. Em 14 rodadas da terceira divisão nacional, o sistema defensivo se comportou como os dos time do G4.

Apesar de ter passado todo o campeonato dentro da zona do rebaixamento, sofrer apenas 13 gols é contraditório na visão do técnico Edson Vieira. “É algo surreal. Um time que tem a terceira melhor defesa, nós tomamos 13 gols, e somos penúltimos. Com a terceira melhor defesa. Era para estarmos com 20 gols contra. Tem umas coisas que não entram na minha cabeça”, falou o treinador.

Apenas Brusque (SC), líder do Grupo B, e o Londrina (PR), quarto colocado, sofreram menos gols que São Bento e Tombense: 12. De toda a Série C, os sorocabanos têm, em números, o sexto melhor desempenho defensivo. Por outro lado, o Bentão marcou apenas nove gols. É o segundo pior ataque de todo o torneio, à frente somente do Imperatriz (MA), o lanterna do Grupo A, e que balançou a rede adversária só por oito vezes na terceira divisão nacional.

Para o treinador beneditino, o problema ofensivo não passa apenas pelos atacantes, mas por todo o sistema ofensivo -- além do clube ter optado em disputar o mata-mata da Série A2 do Campeonato Paulista com os jogadores titulares e utilizar os reservas no nacional. “Nós temos um desequilíbrio de ataque. Não que o nosso ataque seja o culpado, mas fazemos poucos gols na Série C. Pega o histórico dos jogos que tivemos, quem jogou no ataque. É complicado”, apontou o treinador beneditino.

Em função do fraco desempenho ofensivo, Edson Vieira escalou Bambam e Magrão, dois centroavantes, contra o Londrina, no último sábado (7). Mesmo assim, o setor não funcionou e Bambam foi substituído no intervalo. Artilheiro do São Bento no ano, com 11 gols, ele marcou apenas dois na Série C, sendo a última vez no dia 15 de outubro. O gol da vitória diante dos paranaenses foi marcado por um zagueiro, Dogão, no segundo tempo, após a cobrança de escanteio de Léo Aquino.

Das 14 rodadas disputadas na Série C, em quatro jogos a defesa sorocabana não foi vazada. Por outro lado, foram seis partidas em que o ataque beneditino não conseguiu marcar um gol.

Tombense

O São Bento encara o Tombense, terceiro colocado na chave, no sábado (14), às 16h, no Estádio Walter Ribeiro (CIC). Para deixar a zona do rebaixamento na próxima rodada, o Azulão precisa golear os mineiros por pelo menos quatro gols. Além disso, precisa torcer para o Volta Redonda ser derrotado pelo Ypiranga (RS). Assim, os sorocabanos saíram do Z2 pelo critério de desempate, já que igualariam na pontuação com os cariocas, chegando aos 15 pontos conquistados. (Zeca Cardoso)