São Bento

O São Bento ideal

Edson Vieira quer time com defesa sólida e rápido nos contra-ataques
O São Bento ideal
Técnico preza mais a velocidade das jogadas do que a posse de bola. Crédito da foto: Neto Bonvino / Bento TV (18/2/2021)

O técnico Edson Vieira tem na cabeça uma forma clara de como pretende que o São Bento atue no Campeonato Paulista. Será um time de transições rápidas, utilizando bastante a velocidade pelos lados do campo com os atacantes e laterais. Muitas vezes, o torcedor poderá ver uma espécie de “ligação direta”, quando os zagueiros lançam diretamente os pontas nas costas dos adversários, sem passar pelo meio-campo beneditino.

“É muito bonito ter posse de bola, mas você não cria, não é agudo. Então, eu prefiro tentar ter um time com bolas longas, jogador que recebe com velocidade e não a bola no pé. Quero esse tipo de jogo: vertical, com velocidade”, disse o comandante.

A consistência defensiva com rapidez para sair no contra-ataque está sendo trabalhada em quase todos os treinamentos. E pôde ser observada na atividade contra o Capivariano, na quarta-feira (17), em Santana de Parnaíba (SP). Principalmente nos últimos 60 minutos do jogo-treino, quando a equipe considerada titular estava em campo, a ação dos atacantes de lado de campo — Leílson e Ítalo — e as chegadas dos laterais — Julinho e Victor Guilherme — foram constantes.

Leia mais  Boas expectativas

Inúmeras chances de gol foram criadas, e todas elas geradas por jogadas pelas beiradas. O treinador ficou feliz com a criação do seu time, mas lhe incomoda a dificuldade em concluir. O placar final foi de 3 a 2, mas poderia ter sido, no mínimo, 6 a 2. “O importante de tudo é que criou, agora falta o teto. Fez a casa bonita, mas vai entrar água se não fizer o gol, eu penso assim”, brincou Edson Vieira.

Em virtude disso, a busca por um centroavante ainda não acabou. O Bentão já teve pelo menos três jogadores acertados verbalmente, mas que acabaram não chegando. Um deles, Wallace Pernambucano, esteve com a passagem para São Paulo comprada mas não veio, sem dar uma satisfação.

“Um ‘nove’, provavelmente, eu vou trazer. Preciso ter a condição de colocar dois atacantes por dentro. Às vezes eu posso mudar, com duas linhas de quatro e dois atacantes por dentro”, pontuou o treinador. E variações táticas devem ocorrer com a equipe. Em alguns momentos, o São Bento variou de uma formação com três peças no meio de campo (4-3-3) para uma com dois volantes, um meia e dois atacantes pelos lados (4-2-3-1). Tudo isso foi possível sem fazer substituições.

“Eu tenho de mudar (o esquema tático) sem trocar peças, isso é o futebol moderno. Você tem jogadores que às vezes não pode mudar, porque a característica deles não permite. Então, eu tento ter jogadores ali (no meio de campo) que dê para mudar”, falou.

Leia mais  São Bento nas quartas de final do Paulista? Volante Doriva dá sua opinião!

A formação atual do meio-campo é com Escobar, Fábio Bahia e Allan Dias. Daniel Costa, um clássico “camisa 10”, também pode atuar mais recuado, até como um segundo volante, mas acabou perdendo espaço pela intensidade, tão exigida por Edson. (Zeca Cardoso)

Comentários