São Bento

Motivação é a arma do São Bento

Mesmo retomando os treinos, Edson Vieira reconhece que equipe está em desvantagem e prega união
Motivação é a arma do São Bento
Apesar dos seis desfalques e do reduzido tempo de preparação, treinador está otimista. Crédito da foto: Fábio Rogério / Arquivo JCS (9/3/2020)

O São Bento finaliza hoje a primeira semana de treinamentos para a retomada dos jogos, após a paralisação de mais de quatro meses por conta da pandemia do novo coronavírus. Desde segunda-feira, os trabalhos estão sendo realizados com o elenco dividido em dois grupos, um deles atuando pela manhã e o outro no período da tarde.

A volta aos gramados será em 8 de agosto, às 15h, contra o São José (RS), fora de casa, pela Série C do Campeonato Brasileiro. E o técnico Edson Vieira já sabe que terá problemas. O maior é o desfalque de seis jogadores — sendo três titulares — que deixam a equipe durante a paralisação.

“Isso mexe muito na estrutura do time. Eu tenho mais um detalhe contra, que é o tempo. Tenho pouco tempo para trabalhar o time. Os demais (times) estão na nossa frente. Eu hoje só penso no próximo adversário, que é o São José”, disse Edson em entrevista à assessoria de imprensa do clube.

Leia mais  São Bento anuncia mais dois reforços para ataque e defesa

E os gaúchos estão muito à frente do Bentão. Em maio, os atletas do Zequinha — como é conhecido o São José — já faziam trabalhos físicos. Há cerca de duas semanas, o time iniciou os trabalhos com contato e na última quinta-feira reestreou no Gauchão, com derrota para o São Luiz, por 1 a 0.

“O começo vai ser muito duro. A gente tem que estar consciente. Temos que nos abraçar, todos. Isso é uma coisa que o São Bento sempre fez, de todos se unirem — diretoria, comissão técnica, jogadores e funcionários — para ultrapassar barreiras”, pontuou Edson Vieira.

Motivação

Apesar dos problemas, o treinador beneditino se mantém otimista e com uma das suas principais características: a motivação. Edson garantiu que, como um líder, não pode se mostrar impactado com os acontecimentos negativos.

É fundamental se manter positivo e passar essa imagem aos atletas. E o comandante do Bentão sabe como trabalhar esse lado. Contratado no meio da Série A2 do Paulista, quando o time estava na zona do rebaixamento, conseguiu trazer confiança aos jogadores.

Leia mais  São Bento reforça zaga para Série C e Paulista A2

Os sorocabanos, que não venciam há seis jogos na competição, emplacaram uma sequência de quatro vitórias seguidas, deixando a briga contra o descenso para lutar pelo acesso à Série A1. Por esse trabalho, o técnico segue confiante na retomada.

“O grupo é muito bom. Os caras têm uma entrega. Eu tento estar junto com eles, entrar na mente, para incentivar às coisas grandes, melhores”, contou. E na primeira semana de trabalho, se mostrou satisfeito com a evolução física dos comandados.

“O cara pode ficar quatro meses parado, mas se começar a trabalhar o dia a dia, aquela engrenagem já vai se readaptando. Ele pode sentir um pouco de cansaço nas pernas, à noite para dormir. Mais uns três, quatro dias, (o cansaço) sumiu”, analisou.

Para manter a confiança do elenco, Vieira irá dar oportunidade para os jogadores provarem que podem suprir as carências do time. O clube monitora o mercado, mas também confia nos atletas que permaneceram no grupo. (Zeca Cardoso)

Comentários