São Bento

Azulão tem cinco jogos para evitar rebaixamento

Azulão tem cinco jogos para evitar queda
Para Edson Vieira, São Bento precisará somar 10 pontos dos 15 em disputa. Crédito da foto: Fábio Rogério (22/9/2020)

A situação do São Bento é extremamente complicada na Série C do Campeonato Brasileiro. Com a derrota para o Ypiranga (RS) no domingo (1º), os sorocabanos voltaram para a lanterna do Grupo B, com nove pontos conquistados em 39 disputados, e a cinco do Volta Redonda, primeiro time fora do Z2.

Até o fim da primeira fase, restam cinco partidas para o Bentão tentar evitar a queda à Série D. Começando por dois jogos no CIC: sábado (7), às 16h, contra o Londrina, e dia 14, no mesmo horário, diante do Tombense. “Temos dois jogos em casa: Londrina e Tombense. Se a gente conseguir vencer, daremos uma respirada. Aí, iremos (jogar) contra os adversários (diretos — Volta Redonda e Boa Esporte) na luta para escapar”, analisou o técnico Edson Vieira. Para ele, a conquista de 10 pontos dos 15 em disputa poderá livrar o Azulão do rebaixamento.

Leia mais  Como o São Bento chega para a disputa do Campeonato Paulista

Apesar do desempenho ruim, os jogadores ainda acreditam ser possível reverter o quadro na terceira divisão nacional. “Nossa equipe é muito boa. O Brasileiro da Série C é muito difícil, então temos que nos concentrar mais e trabalhar mais para que possamos vencer esses dois jogos em casa”, afirmou o atacante Magrão, que anotou um gol em dois jogos no campeonato.

Após a dobradinha no CIC, o São Bento joga com Volta Redonda e Boa Esporte longe de Sorocaba e fecha a primeira fase no CIC contra o Ituano.

Treinamentos

Após a derrota em Erechim (RS), o São Bento retornou para Sorocaba na segunda-feira (2). Ontem (3) os jogadores se representaram no período da tarde no CIC para um treino regenerativo e técnico. Na atividade de hoje (4), também às 16h, Edson Vieira já deve poder contar com o lateral-direito Alison, o zagueiro Dogão e o atacante Ruan, que testaram positivo para Covid-19 no dia 25 de outubro, e por não apresentarem sintomas nos últimos 10 dias, estão liberados. (Zeca Cardoso)

Comentários