Esporte São Bento

Após um mês de trabalho de Milton Mendes, São Bento ainda patina

As estatísticas mostram um time mais equilibrado, característica que não impactou na pontuação
Milton Mendes repetiu a linha de defesa em quatro dos cinco jogos. Crédito da foto: Emídio Marques (16/09/2019)

Milton Mendes completou um mês à frente do São Bento nesta quarta-feira (2). O técnico chegou ao clube na vaga do demitido Doriva, que foi contratado para dirigir a equipe durante a Série B, mas durou apenas um turno — ou 19 partidas. O clube sorocabano estava na vice-lanterna da competição quando o novo comandante chegou. A mesma posição que se encontra hoje.

Ao torcedor, pode parecer que nada mudou, mas houve transformações na forma de jogar, nas escalações e até mesmo nos números da equipe.

Leia mais  São Bento anuncia Milton Mendes como técnico para a sequência da Série B

 

Nos últimos cinco jogos de Doriva, contra Cuiabá, Paraná, Brasil de Pelotas, Londrina e América-MG, o Bentão conquistou seis pontos de 15 disputados. Foram duas vitórias e três derrotas.

Com Milton Mendes, os adversários foram Figueirense, Botafogo-SP, Vitória, Oeste e CRB. Cinco pontos somados dos 15 possíveis. Uma vitória, dois empates e duas derrotas. Nas comparações apenas por pontos, Milton Mendes fica atrás de Doriva, mas em outros critérios, o time apresenta maior equilíbrio.

Foram duas partidas em casa para cada comandante. Com Milton Mendes uma vitória (2 a 0 contra o Vitória) e um empate (0 a 0, na estreia, com o Figueirense). Doriva venceu o Paraná (2 a 1, no minutos finais) e foi derrotado pelo América-MG (2 a 0), na partida em que culminou em sua demissão. A derrota para o Atlético-GO, por 1 a 0, não entrou na análise, pois foi sob comando do auxiliar Luizinho.

Ofensivamente, era uma equipe que marcava mais gols: anotou nove, contra quatro tentos na atual gestão. Os números elevados foram impulsionados pela goleada contra o Londrina, por 4 a 2, quando o atacante Zé Roberto teve um dia iluminado e marcou os quatro gols do time beneditino.

Leia mais  ‘Tenho que melhorar’, diz Zé Roberto, atacante do São Bento

 

Mas, nos dias de hoje, existe maior segurança na defesa. O São Bento entra com uma formação defensiva no 4-4-2. Com o antigo treinador, a disposição tática era em um 4-3-3. Era uma equipe mais exposta — e os números comprovam. Nos cinco jogos com Milton Mendes, o Bentão sofreu quatro gols. Nas duas partidas dentro de casa não foi vazado. Já com Doriva, foram 10 gols em cinco partidas: média de 2 gols a cada 90 minutos.

Milton Mendes repetiu a linha de defesa em quatro dos cinco jogos. Doriva conseguiu escalar os mesmos jogadores em apenas duas partidas. “Facilita muito pelas características, né? Um conhecer o outro, você já sabe quem vai fazer uma cobertura, já se comunica melhor. Já facilita quando se tem um entrosamento pela sequência de jogos”, explicou o lateral-esquerdo Guilherme Romão.

Números e treinadores diferentes, mas o São Bento ainda permanece na luta para se livrar da zona do rebaixamento. A próxima missão do clube sorocabano é contra o Bragantino, atual líder da competição, nesta sexta-feira (4), às 21h, no CIC. Mesmo se vencer, o Bentão não deixa o Z4, já que está quatro pontos atrás do Vila Nova, o primeiro fora da degola. (Zeca Cardoso)

Comentários

CLASSICRUZEIRO