Esporte São Bento

Régis, ala do São Bento, completa 15 dias de tratamento contra dependência química

Rotina do jogador envolve treinamentos no clube, atividades no CADQ e na clínica Supera
Régisestá em tratamento contra vício em álcool e drogas. Crédito da foto: Erick Pinheiro (13/03/2019)

Não é de hoje que o jogador Régis, do São Bento, apresenta problemas com álcool e drogas. Na passagem pelo São Paulo, o atleta foi dispensado no final do ano passado por problemas pessoais. Contratado pelo CSA de Alagoas, ainda em 2018, o lateral-direito teve o contrato rompido em fevereiro após ser preso em Maceió por tentar invadir um motel. Menos de vinte e quatro horas após a dispensa, o São Bento acertou a contratação do atleta para fazer parte do elenco. Mas antes mesmo de entrar em campo, Régis se envolveu em nova polêmica. Ele foi preso em Sorocaba por suspeita de embriaguez, estar em posse de três pinos de cocaína e resistir a prisão.

Leia mais  Régis, ala do São Bento, é liberado após ser detido por embriaguez e posse de cocaína

 

O episódio poderia colocar fim a sua carreira, mas o clube sorocabano resolveu apostar no atleta e ofereceu uma série de tratamentos para combater o seu vício em álcool e drogas. Régis prontamente aceitou a oferta e escolheu o Centro de Atenção ao Dependente Químico (CADQ), que trabalha em parceria com a clínica Supera Terapias. O CADQ atua na cidade desde maio de 2018 e atende dependentes químicos de forma gratuita.

A rotina do jogador envolve os treinamentos no clube, além de atividades no CADQ e também na clínica Supera, principalmente na parte da noite. Régis não tem previsão para retornar definitivamente aos gramados, mas entende que este é um passo importante para retomar a sua carreira. “Amo jogar futebol e sei que preciso me dedicar inteiro a isso. Chegou a hora de enfrentar a dependência química e aproveitar essa chance que estou tendo”, disse Régis, ao aceitar iniciar o tratamento no CADQ”, relata o jogador.

As atividades envolvem palestras e um apoio de uma equipe multidisciplinar. Os encontros são promovidos às segundas, quintas-feiras e sábados. Segundo relatos da assessoria da entidade, o lateral não apresentou recaídas desde o início do tratamento, datado em 13 de março, mesmo sendo este o dia de sua prisão. O clube anunciou que Régis aceitou a ajuda oferecida pelo clube após uma reunião realizada no dia 14. (Da Redação)

Comentários

CLASSICRUZEIRO