Esporte

Presidente do comitê de Tóquio-2020 renuncia após declarações sexistas

Yoshiro Mori falou que as mulheres falam demais durante as reuniões
'Cancelar a Olimpíada teria sido mais fácil', diz presidente do COI
Mori, de 83 anos, renunciou nesta sexta-feira após onda de protestos por conta de fala sexista na última semana. Crédito da foto: Philip Fong/ AFP (12/7/2020)

Yoshiro Mori, 83 anos, presidente do comitê organizador dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, renunciou ao cargo nesta sexta-feira (12) depois da repercussão negativa que seus comentários sexistas causaram no Japão e no exterior, na semana passada. Ainda não foi anunciado nenhum sucessor para o cargo.

O ex-Primeiro Ministro japonês (2000-2001) justificou a presença de poucas mulheres na organização porque “elas falam demais”, o que ele considera “irritante”. Ele pediu desculpas no dia seguinte, mas uma série de protestos vem acontecendo desde então, seja entre funcionários do comitê e voluntários, seja entre atletas e patrocinadores, o que culminou com sua decisão.

Mori afirmou nesta sexta que respeita as mulheres e que sua declaração “provocou muito caos”, por isso, desejava renunciar ao cargo a partir desta data. O Comitê Olímpico Internacional já havia se manifestado anteriormente, dizendo que a fala do japonês havia sido completamente inapropriada. Ele, aliás, é conhecido no país pelas gafes que comete.

Leia mais  Olimpíada de Tóquio pode acontecer sem público estrangeiro

A Olimpíada de Tóquio seria realizada no ano passado, mas acabou adiada para julho de 2021 por conta da pandemia de coronavírus. Antes de renunciar, Mori garantiu que os Jogos não serão adiados novamente.

Comentários