Buscar no Cruzeiro

Buscar

Acervo

Pai e filho sorocabanos correm rali no sul do país pela primeira vez juntos

23 de Fevereiro de 2021
Marina Bufon [email protected]

Leonardo, de 15 anos, e o pai, Marco Carraresi, com o troféu de quarto lugar. Crédito da foto: Edu Couto/@charada_2021

Pai e filho sorocabanos correram pela primeira vez juntos em um dos maiores ralis do Brasil na última semana - e abocanharam a quarta colocação geral na categoria Turismo. Na 27ª edição da Transparaná, na região sul do país, a equipe Charadas, de Marco e Leonardo Carraresi, este último com 15 anos, correu quatro etapas e 1.360 quilômetros para levarem o prêmio para casa.

"Depois de disputar vários campeonatos, várias corridas fora do Brasil, foi a primeira vez que corri a Transparaná, sempre quis correr. Uma prova sensacional, muito justa, médias altas, velocidade alta, trechos travados no meio de reflorestamento, estradões, bastante diversidade, lama. Mas acho que o ponto alto foi ter corrido com o meu filho pela primeira vez no rali maior", disse o piloto Marco Carraresi.

Mil quilômetros

Foram 1.360 quilômetros entre Foz do Iguaçu e Curitiba, em quatro dias de provas. Crédito da foto: Edu Couto/@charada_2021.

A Transparaná aconteceu entre os dias 16 e 20 de fevereiro, entre Foz do Iguaçu e Curitiba, em aproximadamente mil quilômetros de aventuras. Para isso, a equipe também contou com o motorista Carlos Massarente, responsável pelo apoio entre as cidades, com ferramentos, alimentação e barraca para dormir; o fotógrafo Edu Couto; outro motorista, Francisco Tunes, e Carlos Brezolin, no apoio na manutenção.

Cada dia de prova tinham três etapas, totalizando 12, das quais era possível descartar as duas piores. Dessas 12 etapas, a dupla de pai e filho ganharam três, com duas classificações gerais do dia em terceiro lugar e uma em quarto. No final de tudo, o Charadas ficou na quarta colocação geral, lembrando que, no total, havia 110 duplas competindo.

"Já ganhei outras provas, alguns campeonatos, mas a sensação de estar com o meu filho e ganhar um troféu, pegar uma colocação, ver a carinha dele, coisas que eu já passei lá trás... É indescritível, sensacional. E a prova foi uma das melhores que já corri até hoje".

Cuidados com a Covid-19

Apesar da pandemia de coronavírus, o rali foi realizado, mas não sem todas as medidas preventivas usuais, como álcool em gel, mas também com a utilização de microbolhas, já que cada um ficava em sua própria barraca nos acampamentos.

"A organização tomou todas as providências exigidas pelo estado do Paraná em relação à Covid-19, inclusive o governador, Ratinho Massa Júnior, estava correndo a prova também. Não teve confraternização, as premiações foram sempre ao ar livre e todos de máscara, as reuniões foram todas online. Não ficamos sabendo de nenhum caso da doença nem durante e nem depois", finalizou. (Marina Bufon)