Buscar no Cruzeiro

Buscar

Futebol

São Paulo empata em casa e terá de superar Racing na Argentina

A ausência de muitos jogadores prejudicou demais o jogo do Tricolor, que se complicou no campeonato

14 de Julho de 2021 às 00:36
Tricolor saiu na frente, cedeu empate e viu vaga às quartas mais difícil
Tricolor saiu na frente, cedeu empate e viu vaga às quartas mais difícil (Crédito: AFP (13/7/2021))

O São Paulo terá de se superar, semana que vem, na Argentina, para continuar vivo na Libertadores depois de empatar nesta terça-feira (13) por 1 a 1, no Morumbi, com o Racing. Contra um adversário conhecido da primeira fase, o time de Hernán Crespo não teve forças para se impor em casa e, por isso, o desempenho da equipe faz a torcida ligar o sinal de alerta para a partida de volta das oitavas de final.

A ausência de muitos jogadores prejudicou demais o jogo do São Paulo, que não tinha William, Rigoni, Luciano e Miranda (machucados), Bruno Alves (suspenso) e Daniel Alves (com a seleção olímpica). O repertório de jogadas da equipe foi pobre. Ao Racing bastava congestionar o meio de campo para bloquear toda e qualquer investida do São Paulo.

O goleiro Arias, no entanto, desmontou a estratégia do time argentino com uma falha infantil ao tentar encaixar um cruzamento fraco, aos 34 minutos. Melhor para Vitor Bueno -- que havia entrado minutos antes no lugar do lesionado Eder -- e nem precisou de muito esforço para colocar o São Paulo em vantagem.

O gol provocou uma pane no sistema defensivo do Racing e o São Paulo teve em poucos minutos duas chances de ampliar. Primeiro, com Vitor Bueno e, depois, com Rodrigo Nestor.

A bem da verdade, porém, é que o São Paulo não fez um bom jogo e só chegou ao gol graças ao presente dado pelo goleiro do Racing. Tanto é que a equipe não conseguiu se manter durante muito tempo à frente do placar. O empate dos argentinos veio antes mesmo do intervalo, aos 45 minutos, em chute rasteiro de Copetti de fora da área que Volpi não alcançou.

No segundo tempo, Crespo renovou o fôlego do ataque do São Paulo com as entradas de Benítez e Gabriel Sara. As alterações, no entanto, não surtiram o efeito esperado porque o Racing avançou a marcação, deixou o São Paulo preso em seu campo defensivo e passou a levar o jogo em “banho-maria”.

Para a equipe argentina, o empate estava de bom tamanho. Não havia necessidade de o time arriscar. Assim, o Racing trocava passes de lado e o São Paulo acabou aceitando o jogo do adversário. Não à toa, a melhor chance da etapa final foi do time argentino. Sorte do São Paulo que Mena, sem marcação e quase embaixo da trave, cabeceou por cima. Caso contrário o prejuízo seria bem maior. (Da Redação, com Estadão Conteúdo)

 

SÃO PAULO 1 x 1 RACING-ARG

São Paulo - Tiago Volpi; Diego Costa, Arboleda e Léo; Igor Vinícius, Luan, Liziero (Gabriel Sara), Welington e Rodrigo Nestor (Talles); Igor Gomes (Benítez) e Eder (Vitor Bueno, depois Marquinhos). Técnico: Hernán Crespo
Racing-ARG - Arias; Sigali, M. Martínez (Novillo) e N. Domínguez; Cáceres (F. Domínguez), L. Miranda, Moreno, Piatti (M. Rojas) e Mena; Copetti (J. Correa) e Chancalay (Lovera). Técnico: Juan Antonio Pizzi
Gols - Vitor Bueno, aos 34, e Copetti, aos 45 minutos do 1º tempo
Árbitro - Jhon Ospina (COL)
Cartões amarelos - Mena, Diego Costa, Arboleda, Sigali e J. Correa
Local - Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)