Buscar no Cruzeiro

Buscar

Homofobia

CBF terá de explicar ausência da camisa 24

01 de Julho de 2021 às 00:01
Estadão Conteúdo [email protected]
Seleção brasileira.
Seleção brasileira. (Crédito: NORBERTO DUARTE)

O juiz Ricardo Cyfer, da 10ª Vara Cível do Rio de Janeiro, determinou ontem que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) explique, em 48 horas, a ausência do número 24 em meio às camisas da seleção brasileira na Copa América. Dentre todas as equipes que participam do torneio, a do Brasil é a única cuja numeração dos jogadores pula do número 23 para o 25, aponta o grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT (autor da ação).

A entidade acionou a Justiça fluminense apontando que o fato de a seleção brasileira ser a única que não usa o número 24 nos uniformes, “deve ser entendido como uma clara ofensa a comunidade LGBTIA+ e como uma atitude homofóbica, considerando a conotação histórico cultural que envolta esse número de associação aos gays”.

“Tem se mostrado cada vez com maior clareza o importante papel que a adoção de medidas afirmativas no âmbito das práticas esportivas exercem para o incremento dessa luta (da comunidade LGBTQIA+), com ênfase para aqueles esportes tradicionalmente considerados no universo masculino. E, como no Brasil a popularidade do futebol, esporte que ainda se insere nessa tradição masculina, ainda não foi suplantada por outro, sobressai-se a importância da adoção dessas medidas no contexto das suas competições”, ressaltou Ricardo Cyfer na decisão. “É inadmissível o retrocesso”, frisou o grupo Arco-Íris. (Estadão Conteúdo)