Buscar no Cruzeiro

Buscar

Novo Pacaembu

Reformas começam pelo fim do tobogã

30 de Junho de 2021 às 00:01
Estadão Conteúdo [email protected]
As máquinas já iniciaram a remoção da arquibancada.
As máquinas já iniciaram a remoção da arquibancada. (Crédito: TIAGO QUEIROZ / ESTADÃO CONTEÚDO)

A reforma do complexo esportivo do Pacaembu foi iniciada ontem (29) pela Concessionária Allegra Pacaembu. Começando pela remoção do tobogã, construído em 1970, o projeto inclui uma renovação geral do sistema de arquibancadas do Estádio Paulo Machado de Carvalho. A Allegra detém a outorga desde 25 de janeiro do ano passado, por 35 anos, e a obra deve durar de 24 a 28 meses, com um investimento em torno de R$ 400 milhões.

“Nosso desejo é manter viva a história do Pacaembu e essa obra será executada com todo respeito ao patrimônio e orientada para o futuro”, ressalta Eduardo Barella, CEO da concessionária. Em entrevista, Barella disse que a ideia da reforma é reverter a lógica atual concentrada no futebol e liberar espaço para outras atividades voltadas à cultura e a outros esportes. “O projeto entregará um espaço público mais democrático, plural e acessível, além de potencializar o seu uso esportivo”, defende Barella.

O vereador Adilson Amadeu, que integra o Conpresp, destaca que o processo foi aprovado na Câmara e já tem aprovação dos órgãos de conservação e do TCM. “A cidade vai se modernizando, como já ocorreu com outros locais, como a Avenida Paulista, por exemplo”, disse. Em Nota, a Secretaria Municipal de Cultura confirma a aprovação no Conpresp. “Diante da necessidade de alterações no projeto da passarela, o Conpresp aprovou as mudanças apresentadas”, diz a SMC.

“O que a gente quer é reverter a lógica de pouco uso do espaço”, argumentou o CEO da concessionária, advertindo que nunca entendeu o Pacaembu “como um campo de futebol, mas sim um espaço público que pode trazer conteúdo para a população”. (Estadão Conteúdo)