Buscar no Cruzeiro

Buscar

Polêmica

Neymar fala sobre queixa de assédio

29 de Maio de 2021 às 00:01
Da Redação com Estadão Conteúdo
Atacante está com a seleção.
Atacante está com a seleção. (Crédito: LUCAS FIGUEIREDO / CBF (27/5/2021))

O atacante Neymar, que está concentrado com a seleção brasileira na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), para dois jogos pela Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, se manifestou ontem (28), pela primeira vez, sobre a alegação de que o contrato dele com a Nike foi rompido após uma denúncia de assédio sexual nos Estados Unidos. O jogador do Paris Saint-Germain tratou as afirmações da empresa americana de material esportivo como “absurdas” e “mentirosas”.

O caso foi revelado pelo americano The Wall Street Journal na noite de quinta-feira (27). A conselheira geral da empresa de materiais esportivos, Hilary Krane, declarou que o rompimento do contrato entre Neymar e Nike, em agosto do ano passado, aconteceu após o jogador não colaborar com as investigações do caso, que teria ocorrido em 2016.

De acordo com a reportagem, uma funcionária da Nike disse a amigos e colegas que Neymar tentou forçá-la a fazer sexo oral em um quarto de hotel de Nova York, onde ela ajudava a coordenar eventos e fazia a logística para o atacante e sua comitiva, em 2016.

Em publicação em seu Instagram, o jogador brasileiro afirmou não entender como “uma empresa séria pode distorcer uma relação comercial que está apoiada em documentos”. “As palavras escritas não podem ser modificadas. Elas sim são muito claras. Não deixam dúvidas! (...) Contrariar essa regra e afirmar que o meu contrato foi encerrado porque não contribuí de boa-fé com uma investigação isso é absurdo, mentiroso. Mais uma vez sou advertido que não posso comentar em público”, escreveu.

Neymar também disse que não teve a oportunidade de se defender. “Não me deram a oportunidade de saber quem é essa pessoa que se sentiu ofendida. Eu nem a conheço. Nunca tive nenhum relacionamento. Não tive sequer oportunidade de conversar, saber os reais motivos da sua dor. Essa pessoa, uma funcionária, não foi protegida. Eu, um atleta patrocinado, não fui protegido. Até quando? Ironia do destino continuarei a estampar no meu peito uma marca que me traiu. Essa é a vida!”, manifestou-se.

Seleção

Depois de seis meses, a seleção brasileira voltou a treinar na Granja Comary. Na tarde de ontem (28), o técnico Tite comandou uma atividade com os atletas já concentrados. (Da Redação, com informações de Estadão Conteúdo)