Esporte

Inspirada em videogame, garota sorocabana vira promessa no tênis

Em dois anos, Alice já acumula 11 títulos em 14 competições disputadas
Um futuro promissor
Alice, de 10 anos, é a nº 1 do Estado em sua categoria. Crédito da foto: Emidio Marques

Um videogame foi o ponto de partida para Alice Ghiraldi, de 10 anos, descobrir o tênis. Aos 8 anos de idade, por intermédio de um jogo virtual e com o convite de uma amiga, a modalidade entrou na vida da menina que é vista por muitos como uma das promessas brasileiras no esporte. A ascensão da tenista sorocabana é impressionante. Em dois anos, Alice já acumula 11 títulos, em 14 competições disputadas.

Em sua categoria, ela é a número um do Estado de São Paulo. Hoje, já treina seis vezes por semana, por quatro horas. Somente aos domingos a garota fica longe das quadras — na teoria, já que as vezes vai “bater uma bolinha”, como relata a sua mãe, Amanda Ghiraldi. Os treinamentos são realizados no Clube de Campo Sorocaba. A garota atleta ainda integra a equipe do Instituto do Tênis, em Barueri.

Cristiano Almeida é um dos treinadores de Alice, que também conta com Marcelo Caldeira na equipe técnica. “Eu sou treinador há 11 anos, mas nunca vi uma criança com uma evolução tão rápida. Já treinei alguns com talento, mas com as características que a Aline tem, é a primeira vez”, explica Cristiano.

Leia mais  Tenista britânico Andy Murray anuncia aposentadoria

 

Na categoria Kids, a que a tenista mirim sorocabana está, existem três tipos de bola. Em tese, cada estágio dura, em média, dois anos. Mas essa conta não é a mesma para Alice. Ela já treina com a mesma bola que os profissionais utilizam. E a profissionalização não parece distante.

“A partir deste segundo semestre, ela vai disputar campeonatos com as meninas de 12 anos. Com as meninas da sua idade, os jogos normalmente estão acabando com os sets em 6/0, 6/1, sem muita competitividade. Nós imaginamos que, a partir dos 13 anos, ela já estará disputando as competições entre os profissionais”, detalha o pai da atleta, William Ghiraldi.

Dedicação

E não pense que a carreira está sendo construída por um sonho dos pais. William e Amanda, pais de Alice, nunca praticaram a modalidade. A escolha é da menina. “Eu jogo desde cedo porque eu quero ser a número um do mundo”, projeta a garota, que aparenta até uma certa timidez, mas com a raquete na mão demonstra toda a sua confiança.

“As vezes ela não treina tão bem, mas quando falamos a palavra competição, ela muda. Existe o cuidado para não colocar pressão por resultado, já que ela é uma criança, só que esse espírito competidor, de atleta, está dentro dela”, conta Cristiano Almeida, que treina Alice há pouco mais de um ano.

Com apenas 10 anos, Alice demonstra maturidade não só dentro de quadra, mas também no pensamento. A modalidade é vista como um lazer também, mas campeonato é coisa séria para a menina. A pressão interna existe, mas ela sabe como eliminar. “Você está numa final, sempre tem uma pressão. Mas aí é só soltar o braço que a pressão sai de você”, confidencia.

Leia mais  Angelique Kerber vence Serena Williams e conquista 1º título em Wimbledon

 

A carreira promissora faz com que o planejamento seja ambicioso. Em dois anos, a ideia é que ela já dispute os torneios da Federação Internacional de Tênis (ITF, sigla em inglês). Os pais de Alice sonham que ela possa disputar os Jogos Olímpicos de 2024, em Paris, na França.

No próximo dia 20, a tenista sorocabana entre em quadra para representar o Estado de São Paulo na Copa das Federações. Serão 22 jogadoras na categoria de Alice, que vai buscar o bicampeonato, já que em 2018 ficou com o troféu. Com o retrospecto atual e a evolução na modalidade, podemos imaginar que Sorocaba, muito em breve, terá uma representante no lugar mais alto do pódio no tênis. (Zeca Cardoso)

Comentários