Esporte

Hamilton reforça ativismo por causas sociais na Fórmula 1

Desde o começo da temporada, o inglês protagoniza protestos que mostram posição contra o racismo, discriminação, entre outros
Hamilton reforça ativismo por causas sociais na Fórmula 1
Piloto cobrou punição a assassinos. Crédito da foto: AFP / Pool (13/9/2020)

Maior ativista por causas sociais entre os pilotos que compõem o grid da Fórmula 1, o inglês Lewis Hamilton deu um aviso pelas redes sociais, nesta terça-feira (15), à Federação Internacional de Automobilismo (FIA), após ter sido informado que não será punido pela entidade. Antes e depois do GP da Toscana, no domingo (13), em Mugello, na Itália, Hamilton vestiu uma camiseta com a mensagem: “Prendam os policiais que mataram Breonna Taylor”. A FIA afirmou que avaliaria impor restrições em manifestações futuras, mas voltou atrás.

Desde o começo da temporada, o inglês protagoniza protestos que mostram posição contra o racismo, discriminação, repressão policial e desigualdade social. “Quero que saibam que não vou parar, não vou desistir de usar essa plataforma para iluminar o que acho correto. Eu gostaria de agradecer aqueles que continuam a me apoiar e demonstrar amor, sou muito grato. Mas essa é uma jornada em que todos temos que ir juntos para desafiar todos os tipos de injustiças cometidas no mundo, não apenas a racial”, publicou o piloto da Mercedes em sua conta no Instagram. (Estadão Conteúdo)

Comentários