Buscar no Cruzeiro

Buscar

Acervo

FPF e clubes elaboram novo protocolo contra Covid para retomar o Paulistão

29 de Março de 2021

São Bento e Palmeiras se encontraram na semana passada em Volta Redonda, no Rio, em rodada atrasada do Paulista. Crédito da foto: Cesar Greco/Palmeiras.

A Federação Paulista de Futebol (FPF) apresentou ontem à noite ao Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) um novo protocolo para tentar conseguir a liberação da disputa do torneio. O documento foi elaborado pelos médicos dos 16 clubes e mais o departamento médico da FPF.

A FPF promete que nesta fase emergencial os elencos vão seguir uma série de cuidados. Os times vão permanecer concentrados em hotéis ou centros de treinamento, serem testados antes e depois de cada partida com um intervalo máximo de três dias para os exames, aferição contínua de funcionários dos clubes e o rastreio de contato de possíveis casos positivos. Outra mudança é no horário dos jogos, sempre após as 20h.

O novo protocolo estabelece ainda que os clubes deverão reduzir a quantidade de pessoas presentes aos jogos e treinos e aumentar cuidados com a higienização de instalações e produtos que serão manipulados nos centros de treinamento. A FPF ordena que o time mandante terá de informar a quantidade de leitos de UTI disponíveis na rede da cidade para o caso de emergências médicas.

O conteúdo foi apresentado ontem (29) à noite ao MP-SP, em reunião on-line, porque partiu do procurador geral do órgão, Mário Sarrubbo, a recomendação para interromper o Campeonato Paulista. Posteriormente, o governo estadual aderiu ao pedido e determinou a suspensão das atividades coletivas esportivas.

“Os clubes e a FPF ressaltam que este cenário com a renovação da fase emergencial gera um enorme retrocesso no controle de saúde dos atletas e comissões técnicas, além de um enorme prejuízo técnico”, disse a federação, que reforçou que “foi definido um aprimoramento do já rigoroso protocolo de saúde da competição”.

“O futebol paulista, sob este mais rigoroso protocolo, seguirá contribuindo para o controle e prevenção do agravamento da pandemia, com testagens constantes em atletas, comissões técnicas e funcionários dos clubes, especialmente dos assintomáticos (maioria dos atletas)”, ressaltou a FPF.

Fase emergencial

A fase emergencial no Estado de São Paulo foi prorrogada pelo governo paulista até 11 de abril. As partidas do Paulistão dentro do Estado foram suspensas em 14 de março. Dois jogos chegaram a ser disputados em Volta Redonda (RJ).

Para a FPF, a situação mais preocupante é de Corinthians, Palmeiras, São Paulo, Santos, Ponte Preta e Red Bull Bragantino, que disputam outros campeonatos além do Paulistão. A ideia é obter autorização para antecipar jogos desses times antes do dia 11. (Da Redação, com informações de Estadão Conteúdo)