Esporte

Hoje fora do São Paulo, Lugano discordava sobre maneira de jogar de Diniz

Em entrevista, uruguaio abordou diversos assuntos polêmicos, inclusive sobre bastidores
Exorcizando fantasmas
Técnico se manteve no cargo por mais de um ano e meio, sob desconfiança da torcida após instabilidade de resultados. Crédito da foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Lugano aprendeu como funciona um clube, de fato, quando tornou-se dirigente do São Paulo. Ídolo do clube como zagueiro, ele recebeu convite para participar dos bastidores em 2017 e aceitou. Neste ano, com a nova gestão, ele deu adeus à função e explicou, em entrevista ao “ge”, alguns pontos importantes que o torcedor pode não saber.

Um dos que mais chamou a atenção foi a afirmação da pressão que o “universo São Paulo” passa em busca de resultados positivos e como a falta de harmonia entre bastidores e gramado podem influenciar diretamente nos resultados esportivos. Além disso, Lugano falou sobre a contratação e saída de Diego Aguirre, Cuca, situação de Gonzalo Carneiro, Hernán Crespo e, por fim, sobre a chegada de Fernando Diniz.

O uruguaio afirmou que soube da decisão da contratação quando estava inaugurando um camarote no Morumbi e que ficou surpreso. Além disso, ele foi categórico: os dois pensavam diferente sobre o que é futebol.

Leia mais  Niltinho é regularizado e pode estrear pela Ponte Preta na Copa do Brasil

“Sinto que a maneira de ver futebol é um pouco diferente. Vejo sempre futebol de uma maneira muito mais… É… Enfim… Maneira de jogar é taticamente equilibrada, mais consistente. Porém, o fato de que muitos jogadores tenham pedido ele foi algo que…”, iniciou.

“Não sei quais (jogadores), mas sei que alguns pediram. Então, como foi pedido e sei que muitas vezes jogadores têm uma opinião muito mais clara do que os dirigentes, então eu apoiei e tentei apoiar em todos momentos, mesmo sendo um futebol que é contra o meu estilo, a minha maneira de pensar”, complementou.

Lugano ainda disse que ele e Diniz conversaram sobre mudar estilo de jogo em algum momento, mas sem briga nem discussões.

“À medida que o tempo encurtava e a urgência de ganhar era maior, na minha maneira de ver, não achava como a gente ser consistente em jogos importantes de mata-mata ou decisivos com aquela forma de jogar. Não achava, sinceramente. Foi o que tentei fazer a direção entender, que tinha de mudar a forma de jogar para tentar aproveitar esse elenco para obter títulos ainda nesse ano antes de sair. Simplesmente isso, com todo respeito ao treinador e a tomada de decisão”, analisou.

Leia mais  ICMS ambiental dobrado deve ser visto como oportunidade

O São Paulo não conquista um título desde 2012, quando levantou a taça da Sul-Americana e, além do jejum, vem acumulando algumas decepções e vexames nos últimos anos. Para 2021, o nome escolhido para comandar o time foi do argentino Hernán Crespo, que estreou com empate no Campeonato Paulista no último domingo. Já Lugano será comentarista nos canais Disney neste ano. (Da Redação)

Comentários